Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

Suécia está disposta a enviar tropas a Donbass

A Suécia poderá enviar suas tropas para o leste da Ucrânia para apoiar a missão da ONU, afirmou o ministro da Defesa sueco, Peter Hultqvist, em entrevista à emissora Sveriges Radio.


Sputnik

No âmbito da Conferência de Segurança de Munique, o ministro da Defesa disse que a Suécia está pronta a apoiar a ONU caso esta decida enviar pacificadores para a região de Donbass.


Soldados suecos durante treinamentos (foto de arquivo)
CC BY 2.0 / Hakan Dahlstrom / Regementets Dag 2014

Respondendo à pergunta se ele vê qualquer ameaça no fato de os soldados suecos poderem vir a operar perto da fronteira russa, Hultqvist afirmou "não querer fazer previsões", pois ainda não se sabe como decorrerá a missão de paz, segundo a Sveriges Radio.

Anteriormente, o presidente russo, Vladimir Putin, declarou ser a favor do envio de pacificadores da ONU para o leste ucraniano, desde que a única função destes seja assegurar a segurança dos funcionários da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa). As autoridades ucranianas, por sua parte, insistem em alargar a missão da ONU a todo o território de Donbass até à fronteira com a Rússia.

Segundo declarou o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, os pacificadores devem "garantir que estes territórios voltarão a estar sob a soberania ucraniana".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas