Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

'Super canhão' do tanque russo Armata desafiará qualquer inimigo, segundo The National Interest

A bem-sucedida experiência da engenheira soviética no campo de armamento vem beneficiando designers russos na criação de um canhão capaz de tornar obsoleto qualquer tanque ocidental.


Sputnik

Engenheiros russos estão elaborando o novo canhão do tanque russo T-14 Armata, apoiando-se nos avanços alcançados pelos colegas da URSS. O projeto, chamado de "super arma", prevê criação de um canhão baseado na arma soviética 2A66, revela o artigo do analista Charlie Gao, publicado pelo jornal The National Interest.


Novo tanque russo T-14 Armata durante a Parada da Vitória na Praça Vermelha em Moscou, 9 de maio de 2015
Tanque russo T-14 Armata © AP Photo/ Alexander Zemlianichenko

O 2A66 foi desenhado para um projétil subcalibre com maior precisão do que o seu antecessor 2A46.

Vale lembrar que o 2A66 foi criado por causa de preocupações ligadas ao poder dos tanques soviéticos. Havia hipóteses de que suas capacidades não seriam suficientes para eliminar blindados avançados da OTAN. Mas o projeto foi abandonado.

Hoje, o "tanque do futuro" renasceu. Mas, neste caso, o futuro canhão não exige criação de novas munições por ser capaz de disparar projéteis comuns de 125 milímetros.

Além disso, essa novidade conseguiu manter o mesmo tamanho do modelo anterior. Portanto, pode ser instalado em qualquer outro veículo de combate.


Postar um comentário