Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Chefe da ONU diz que é essencial evitar escalada de tensões no Irã

O chefe da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, alertou neste domingo que é essencial evitar “qualquer forma de escalada” das tensões no Golfo, em meio a temores de um conflito após a derrubada de um drone norte-americano pelo Irã na semana passada.
Por Catarina Demony | Reuters

LISBOA (Reuters) - “O mundo não pode permitir um grande confronto no Golfo”, disse Guterres, nos bastidores da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, em Lisboa . “Todos devem manter nervos de aço.”

Na quinta-feira, um míssil iraniano destruiu um drone de vigilância dos EUA, em um incidente que o governo norte-americano disse que aconteceu no espaço aéreo internacional.

Trump disse mais tarde que ordenou o cancelamento de um ataque militar em retaliação pela ação que poderia ter resultado em 150 mortes.

Teerã repetiu no sábado que o drone foi abatido sobre seu território e disse que responderia com firmeza a qualquer ameaça dos EUA.

Os comentários de Guterres vêm um dia depois…

'Super canhão' do tanque russo Armata desafiará qualquer inimigo, segundo The National Interest

A bem-sucedida experiência da engenheira soviética no campo de armamento vem beneficiando designers russos na criação de um canhão capaz de tornar obsoleto qualquer tanque ocidental.


Sputnik

Engenheiros russos estão elaborando o novo canhão do tanque russo T-14 Armata, apoiando-se nos avanços alcançados pelos colegas da URSS. O projeto, chamado de "super arma", prevê criação de um canhão baseado na arma soviética 2A66, revela o artigo do analista Charlie Gao, publicado pelo jornal The National Interest.


Novo tanque russo T-14 Armata durante a Parada da Vitória na Praça Vermelha em Moscou, 9 de maio de 2015
Tanque russo T-14 Armata © AP Photo/ Alexander Zemlianichenko

O 2A66 foi desenhado para um projétil subcalibre com maior precisão do que o seu antecessor 2A46.

Vale lembrar que o 2A66 foi criado por causa de preocupações ligadas ao poder dos tanques soviéticos. Havia hipóteses de que suas capacidades não seriam suficientes para eliminar blindados avançados da OTAN. Mas o projeto foi abandonado.

Hoje, o "tanque do futuro" renasceu. Mas, neste caso, o futuro canhão não exige criação de novas munições por ser capaz de disparar projéteis comuns de 125 milímetros.

Além disso, essa novidade conseguiu manter o mesmo tamanho do modelo anterior. Portanto, pode ser instalado em qualquer outro veículo de combate.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas