Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

'Super canhão' do tanque russo Armata desafiará qualquer inimigo, segundo The National Interest

A bem-sucedida experiência da engenheira soviética no campo de armamento vem beneficiando designers russos na criação de um canhão capaz de tornar obsoleto qualquer tanque ocidental.


Sputnik

Engenheiros russos estão elaborando o novo canhão do tanque russo T-14 Armata, apoiando-se nos avanços alcançados pelos colegas da URSS. O projeto, chamado de "super arma", prevê criação de um canhão baseado na arma soviética 2A66, revela o artigo do analista Charlie Gao, publicado pelo jornal The National Interest.


Novo tanque russo T-14 Armata durante a Parada da Vitória na Praça Vermelha em Moscou, 9 de maio de 2015
Tanque russo T-14 Armata © AP Photo/ Alexander Zemlianichenko

O 2A66 foi desenhado para um projétil subcalibre com maior precisão do que o seu antecessor 2A46.

Vale lembrar que o 2A66 foi criado por causa de preocupações ligadas ao poder dos tanques soviéticos. Havia hipóteses de que suas capacidades não seriam suficientes para eliminar blindados avançados da OTAN. Mas o projeto foi abandonado.

Hoje, o "tanque do futuro" renasceu. Mas, neste caso, o futuro canhão não exige criação de novas munições por ser capaz de disparar projéteis comuns de 125 milímetros.

Além disso, essa novidade conseguiu manter o mesmo tamanho do modelo anterior. Portanto, pode ser instalado em qualquer outro veículo de combate.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas