Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China desenvolve 2 novos bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, diz inteligência americana

A Força Aérea da China, que já tem dois caças furtivos, está trabalhando em dois novos projetos de aviões furtivos de médio e longo alcance, informou um relatório da inteligência militar dos EUA.
Sputnik

Os fabricantes de aviões chineses estão envolvidos em dois projetos de bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, informou a edição Aviation Week, citando um relatório da Agência de Inteligência do Departamento de Defesa dos EUA.


A existência de um desses projetos, H-20 ou H-X, foi confirmada pela Força Aérea Chinesa em 2017. Entretanto, não foi divulgada nenhuma informação confiável sobre o segundo projeto.

De acordo com o Pentágono, o segundo projeto, designado JH-XX, envolve o desenvolvimento de um caça-bombardeiro de médio alcance. O avião será equipado com radar AESA, mísseis ar-ar e mísseis ar-terra. Os especialistas em inteligência militar estadunidense acreditam que essa aeronave entrará em serviço da Força Aérea chinesa não antes de 2025.

No desenvolvimento desses novos aviões de comba…

Turquia ameaça com 'consequências' se Assad apoiar curdos na Síria

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou nesta segunda-feira com "consequências" se o regime de Bashar al-Assad apoiar as milícias curdas no noroeste da Síria, contra as quais o exército turco lançou uma ofensiva no final de janeiro.


EFE

Em uma conversa telefônica com o presidente russo Vladimir Putin, Erdogan advertiu que "se o regime sírio escolher esse caminho, haverá consequências", informou a emissora turca "NTV", citando fontes da presidência turca.


Imagem relacionada
Recep Tayyip Erdogan | Reprodução

Erdogan se referiu assim ao anúncio de que o governo sírio chegou a um acordo para apoiar as Unidades de Proteção Popular (YPG, na sigla em curdo), as milícias curdas que o exército turco enfrenta há um mês.

O governante turco assegurou a Putin que a operação lançada em 20 de janeiro contra o cantão curdo de Afrin na Síria continua segundo o planejado.

Ancara pretende tomar o controle deste território de cerca de 2 mil quilômetros quadrados, que está desde o início da guerra civil síria sob controle das YPG, porque considera estas milícias curdo-sírias um ramo do proscrito Partido de Trabalhadores do Curdistão (PKK), a guerrilha curda ativa na Turquia.

Horas antes, o ministro de Relações Exteriores turco, Mevlüt Çavusoglu, tinha declarado durante uma visita à Jordânia que a Turquia aceitaria a presença de tropas sírias em Afrin, sempre que viessem para expulsar as milícias curdas.

Mas caso contrário, "nada poderia deter o Exército turco", advertiu o diplomata.

Putin e Erdogan também falaram sobre a expansão da presença militar na província de Idlib, ao sul de Afrin, aponta a agência semipública turca "Anadolu".

Desde outubro, há tropas turcas que contam com a autorização da Rússia e do Irã nesta zona, até agora controlada por milícias islamitas alçadas em armas contra Al Assad.

A Turquia deve estabelecer um novo ponto de controle cerca de 70 quilômetros da sua fronteira e a apenas 10 quilômetros da linha de frente com as forças do regime sírio, informou a "Anadolu".

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas