Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Turquia diz que resolução da ONU sobre cessar-fogo na Síria não afetará sua operação em Afrin

A decisão do Conselho de Segurança da ONU pelo cessar-fogo na Síria não teria impacto na operação militar em curso da Turquia em Afrin, disse o primeiro-ministro turco, Bekir Bozdag, no domingo.


Xinhua

Ancara - "Quando observamos a resolução do Conselho de Segurança da ONU, vemos que a luta contra as organizações terroristas está fora de seu escopo. Portanto, isso não afetará a operação em curso da Turquia", afirmou Bozdag, citado pela agência estatal Anadolu.

Resultado de imagem para Bekir Bozdag
Primeiro-ministro turco, Bekir Bozdag | Reprodução

No início do domingo, o Ministério das Relações Exteriores da Turquia saudou a resolução em uma declaração escrita, observando que a Turquia continuaria sua operação militar em Afrin, Síria.

"Apoiamos a resolução adotada pelo Conselho de Segurança da ONU, em resposta ao agravamento da situação humanitária em toda a Síria, particularmente em Ghouta", lê o comunicado.

Ao mesmo tempo, a Turquia "permanece resoluta na luta contra as organizações terroristas que ameaçam a integridade territorial e a unidade política da Síria", acrescentou.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou no sábado uma resolução pedindo um cessar-fogo de 30 dias na Síria para permitir a entrega de ajuda humanitária.

Em 20 de janeiro, a Turquia iniciou a “Operação Ramo de Oliveira” para tirar as milícias da Unidade de Proteção do Povo (YPG) de Afrin, na Síria. Ancara vê a YPG como a afiliada síria do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), uma organização terrorista listada pela Turquia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas