Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Turquia diz que resolução da ONU sobre cessar-fogo na Síria não afetará sua operação em Afrin

A decisão do Conselho de Segurança da ONU pelo cessar-fogo na Síria não teria impacto na operação militar em curso da Turquia em Afrin, disse o primeiro-ministro turco, Bekir Bozdag, no domingo.


Xinhua

Ancara - "Quando observamos a resolução do Conselho de Segurança da ONU, vemos que a luta contra as organizações terroristas está fora de seu escopo. Portanto, isso não afetará a operação em curso da Turquia", afirmou Bozdag, citado pela agência estatal Anadolu.

Resultado de imagem para Bekir Bozdag
Primeiro-ministro turco, Bekir Bozdag | Reprodução

No início do domingo, o Ministério das Relações Exteriores da Turquia saudou a resolução em uma declaração escrita, observando que a Turquia continuaria sua operação militar em Afrin, Síria.

"Apoiamos a resolução adotada pelo Conselho de Segurança da ONU, em resposta ao agravamento da situação humanitária em toda a Síria, particularmente em Ghouta", lê o comunicado.

Ao mesmo tempo, a Turquia "permanece resoluta na luta contra as organizações terroristas que ameaçam a integridade territorial e a unidade política da Síria", acrescentou.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou no sábado uma resolução pedindo um cessar-fogo de 30 dias na Síria para permitir a entrega de ajuda humanitária.

Em 20 de janeiro, a Turquia iniciou a “Operação Ramo de Oliveira” para tirar as milícias da Unidade de Proteção do Povo (YPG) de Afrin, na Síria. Ancara vê a YPG como a afiliada síria do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), uma organização terrorista listada pela Turquia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas