Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

Venezuela realiza manobra cívico-militar ‘Independencia 2018’

O presidente da Venezuela e o comandante em chefe da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB), Nicolás Maduro, liderará neste sábado a Ação Defensiva Multidimensional de Ação de Independência 2018, cujo objetivo é fortalecer o sistema defensivo do país caribenho.


Forças Terrestres

“A busca incessante da paz é o principal argumento dos venezuelanos e venezuelanas, e é por isso que esses exercícios de defesa nacional estão sendo organizados, que serão liderados pessoalmente pelo comandante-chefe das Força Armada Nacional Bolivariana, nosso Presidente Nicolás Maduro”, informou o ministro venezuelano de Comunicação e Informação, Jorge Rodríguez.


Manobra cívico-militar Independencia 2018 na Venezuela

Depois de uma reunião realizada na sexta-feira no Palácio Miraflores em Caracas, a capital venezuelana, Rodriguez confirmou que os exercícios militares visam consolidar a preparação do povo e da FANB para preservar a paz que, segundo ele, foi alcançada depois da instalação da Assembléia Nacional Constituinte (ANC) em 30 de julho de 2017.

Nesse mesmo contexto, o ministro venezuelano disse que as manobras serão ativadas em todo o território do país bolivariano para homens e mulheres venezuelanos atuarem em três níveis: estratégico, operacional e tático.

“Insistimos que é o diálogo, a palavra, a busca incessante da paz, o principal argumento dos venezuelanos”, acrescentou Rodríguez.

De acordo com vários informes, espera-se a participação de cerca de 500 mil organizações populares, 300 mil milicianos e 168 mil soldados nas manobras cívico-militares Independencia 2018.

Na última terça, o ministro venezuelano da Defesa, o general Vladimir Padrino López, afirmou que, diante das ameaças que enfrenta a República Bolivariana da Venezuela, o povo e a FANB devem estar unidos em um exercício militar de caráter popular, mas insistiram que “ninguém deve temê-lo”.

Maduro pediu a manobra para mostrar o poder defensivo do país bolivariano diante de ameaças, num momento em que Washington não descartou a opção militar, de acordo com o presidente dos EUA, Donald Trump, de “restaurar a democracia na Venezuela”.

FONTE: www.hispantv.com / COLABOROU: Marcos Aryeh

Postar um comentário

Postagens mais visitadas