Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por meio do Egito, Hamas pede a Israel que cesse fogo na Faixa de Gaza

O movimento Hamas pediu a Israel que cesse fogo por meio da mediação egípcia e prometeu interromper os confrontos na fronteira como parte do acordo, disse uma fonte política israelense à Sputnik.
Sputnik

"O Hamas teve um grande golpe ontem e o movimento pediu um cessar-fogo através do Egito, prometendo interromper o 'terror incendiário e nas cercas fronteiriças'", disse a fonte.

Segundo a mesma pessoa, Israel considera o Egito como fiador da implementação do cessar-fogo.

"Os egípcios são os garantidores nesta questão, mas em qualquer caso, o desenvolvimento da situação dependerá de ações reais. Se o Hamas violar o cessar-fogo, pagará um preço ainda maior", acrescentou a fonte.

Esses arranjos foram alcançados após bombardeios maciços das instalações do Hamas no enclave, que se seguiram ao assassinato de um soldado israelense na sexta-feira.

Este foi o segundo cessar-fogo entre Israel e o Hamas, coordenado pelo Egito nas últimas duas semanas. No último sábado, a Fo…

11 mortos após ataque aéreo Turco a hospital em Afrin

Onze pessoas foram mortas e dezenas mais feridas em um ataque turco em um hospital da cidade curda de Afrin, na Síria, disse um funcionário médico à Sputnik nesta sexta-feira (16).


Sputnik

"Um ataque aéreo no hospital Afrin matou cerca de 11 pessoas e feriu dezenas mais. O hospital foi gravemente danificado", disse o funcionário.


Fumaça causada por explosão na cidade síria de Afrin durante operação turca Ramo de Oliveira
Fumaça após explosão em Afrin, Síria © AP Photo/ Can Erok/DHA-Depo Photos

As autoridades curdas sírias disseram à Sputnik mais cedo que 30 civis perderam suas vidas em Afrin e centenas foram feridas depois que aviões e artilharias turcas abriram fogo sobre a cidade.

Em 20 de janeiro, a Turquia lançou a operação Ramo de Oliveira, uma ação transfronteiriça massiva, visando "limpar" a cidade síria de Afrin das Unidades de Proteção Popular curdas (YPG), que Ancara considera como um grupo terrorista e uma extensão do proibido Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) turco.

O presidente da Síria, Bashar Assad, tem condenado repetidamente a operação turca contra Afrin. Ele enfatiza que a cidade se trata de uma parte inalienável do território sírio, e critica as ações do exército da Turquia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas