Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Afeganistão: Ataque suicida deixa cinco estudantes feridos

Neste domingo (18), um homem vestido com um uniforme escolar lançou uma granada sobre um grupo de centenas de estudantes universitários na capital afegã, Cabul, suicidando-se e ferindo cinco estudantes, segundo o chefe da política local.


Pars Today

Nasir Nadery disse que o atacante, que escapou aos guardas, usava ainda um colete de explosivos que não conseguiu fazer explodir. Os estudantes estavam num complexo privado, onde ocorriam aulas de preparação para os exames universitários, segundo avança a agência Associated Press.

Afeganistão: Ataque suicida deixa cinco estudantes feridos
Reprodução

O ataque aconteceu num bairro de Cabul dominado pela etnia hazara, uma minoria xiita, frequentemente alvo dos extremistas sunitas. Ninguém reivindicou imediatamente o ataque, que se assemelha a anteriores ataques realizados pelo grupo do Estado islâmico.

No sábado (17), uma bomba colada à moto conduzida por um oficial aposentado do exército paquistanês explodiu no distrito Shahjoy, da província de Zabul, matando o oficial e o seu guarda, de acordo com o porta-voz do governo provincial, Gul Islam Seyal.

O Paquistão foi criticado pelos Estados Unidos e pelo Afeganistão por ter ajudado insurgentes talibãs, uma acusação que nega. Seyal disse que o oficial aposentado estava ajudando dos talibãs, embora não tivesse provas da sua afirmação.

Um oficial militar paquistanês disse não ter conhecimento de nenhum oficial aposentado morto no Afeganistão.

Entretanto, os talibãs atacaram posições de segurança no noroeste de Cabul, matando pelo menos cinco policias e provocando uma batalha de duas horas, de acordo com Mohammed Zaman, chefe de polícia da província de Ghazni.

Os talibãs intensificaram os ataques no Afeganistão desde que os Estados Unidos e a NATO concluíram formalmente a sua missão de combate, no final de 2014.

Na província ocidental de Ghor, entretanto, uma bomba na estrada matou um jovem pastor e feriu outros cinco. O porta-voz da polícia, Iqbal Nizami, disse que os talibãs plantaram a bomba para atacar as forças de segurança.

Na província oriental de Khost, o porta-voz da polícia, Basir Bina, disse que uma bomba na estrada matou duas crianças e feriu outras nove. Ambas as bombas foram disparadas no sábado. Com informações da Lusa.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas