Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Ataques durante as últimas 24 horas em Guta Oriental deixam 23 mortos

Pelo menos 23 pessoas morreram e 150 ficaram feridas em ataques durante as últimas 24 horas em Guta Oriental, o principal reduto opositor dos arredores de Damasco e alvo de uma ofensiva governamental, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.


EFE

Beirute - Na madrugada passada ocorreram bombardeios de aviões não identificados contra as populações de Saqba, Haza e Kafr Batna, entre outras.


EFE/ cedida por SANA
EFE/ cedida por SANA

O Observatório destacou que nos dois últimos dias posições da facção islamita a Legião da Misericórdia foram alvo dos ataques aéreos, que tiraram as vidas de 12 combatentes deste grupo, entre eles dois de seus líderes.

Os bombardeios contra a Legião da Misericórdia aconteceram nos arredores da população de Al Iftiris no último reduto que lhe resta a esta facção no sul de Guta Oriental.

Desde 25 de fevereiro, o Exército sírio e seus aliados desenvolvem uma incursão terrestre na região, que foi precedida na semana anterior de uma intensificação dos bombardeios da aviação síria e da russa, e dos ataques da artilharia governamental.

Segundo o Observatório, pelo menos 1.204 pessoas morreram, entre elas 246 menores e 65 mulheres, desde 18 de fevereiro em Guta.

Ontem, aconteceu uma evacuação de mais de 100 civis de Guta Oriental, após um acordo entre as autoridades sírias e o grupo o Exército do Islã.

Ainda não se sabe se a evacuação de civis continuará hoje nessa região.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas