Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

Atentado com carro-bomba deixa mortos em Cabul

Ao menos dois civis morreram após ação de suicida; ataque ainda não foi reivindicado.


France Presse


Um suicida detonou, neste sábado (17), em Cabul, um carro-bomba, matando pelo menos duas pessoas e ferindo várias outras, informou um funcionário do Ministério do Interior afegão.

Resultado de imagem para carro bomba cabul
Reprodução

"Por volta das 9h10 desta manhã, um carro-bomba explodiu no distrito policial 9 de Cabul. Dois civis morreram e outros três ficaram feridos", indicou à AFP o porta-voz do ministério, Najib Danish.

Já o porta-voz do Ministério da Saúde, Wahid Majrooh, indicou quatro feridos.

O ataque ainda não foi reivindicado e acontece dias depois de o general John Nicholson, comandante das forças americanas e da Otan no Afeganistão, dizer que a proteção da capital afegã era uma prioridade para suas tropas.

Cabul tornou-se um dos lugares mais mortíferos do Afeganistão. O Talibã e o grupo Estado Islâmico rivalizam em ferocidade, causando numerosas vítimas civis.

Mais de 10 mil civis foram feridos ou mortos no Afeganistão em 2017 devido ao conflito, de acordo com a ONU. Quase 2.300 morreram ou foram feridos em ataques, o maior saldo de vítimas já registrado.

O presidente Ashraf Ghani propôs em fevereiro discussões de paz com os talibãs. Estes poderiam ser reconhecidos como um partido político se aceitassem um cessar-fogo e reconhecessem a Constituição de 2004.

Os insurgentes rejeitam oficialmente qualquer diálogo com o governo afegão.

Postar um comentário