Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China desenvolve 2 novos bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, diz inteligência americana

A Força Aérea da China, que já tem dois caças furtivos, está trabalhando em dois novos projetos de aviões furtivos de médio e longo alcance, informou um relatório da inteligência militar dos EUA.
Sputnik

Os fabricantes de aviões chineses estão envolvidos em dois projetos de bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, informou a edição Aviation Week, citando um relatório da Agência de Inteligência do Departamento de Defesa dos EUA.


A existência de um desses projetos, H-20 ou H-X, foi confirmada pela Força Aérea Chinesa em 2017. Entretanto, não foi divulgada nenhuma informação confiável sobre o segundo projeto.

De acordo com o Pentágono, o segundo projeto, designado JH-XX, envolve o desenvolvimento de um caça-bombardeiro de médio alcance. O avião será equipado com radar AESA, mísseis ar-ar e mísseis ar-terra. Os especialistas em inteligência militar estadunidense acreditam que essa aeronave entrará em serviço da Força Aérea chinesa não antes de 2025.

No desenvolvimento desses novos aviões de comba…

Capacidades do caça furtivo chinês J-20 serão aprimoradas

A China continuará a melhorar e atualizar seu jato de combate de ponta J-20, oferecendo mais capacidades do que simplesmente penetrar nas redes de defesa aérea de um inimigo, de acordo com seu designer-chefe.


Poder Aéreo

Yang Wei, vice-diretor de ciência e tecnologia da Aviation Industry Corp da China e um acadêmico da Academia Chinesa de Ciências, disse ao China Daily em uma entrevista exclusiva que designers desenvolverão variantes do J-20 stealth e abrirão pesquisas para seu sucessor – um avião de combate de sexta geração.


Chengdu J-20

“Nós não somos complacentes com o que conseguimos. Vamos desenvolver o J-20 em uma grande família e continuar fortalecendo seu processamento de informações e capacidades inteligentes. Ao mesmo tempo, pensamos em nosso avião de combate de próxima geração para atender os requisitos futuros do país”, disse Yang.

O designer fez as observações à margem da primeira sessão em curso do 13º Congresso Nacional do Povo em Pequim. Ele é um deputado na legislatura superior do país.

“No passado, tivemos que seguir os caminhos dos outros quando se tratava de projetar aeronaves militares porque nossas capacidades de pesquisa e desenvolvimento eram primitivas nesse sentido, mas agora nos tornamos capazes de projetar e fazer o que queremos”, disse ele.

O designer sênior disse que o J-20 é o melhor caça da China, então seria usado nos momentos mais cruciais durante uma guerra.

“É claro que será encarregado de penetrações em redes de defesa aérea, mas essa não será a sua única missão. Definitivamente tem múltiplas funções. Como usaremos depende da sua escala de produção e desdobramento”, disse Yang.

O J-20, o primeiro avião de combate de quinta geração da China, fez seu primeiro voo em janeiro de 2011 e foi desclassificado em novembro de 2016. Foi o terceiro desses aviões furtivos de combate a entrar no serviço, depois do F-22 Raptor e F-35 Lightning II dos Estados Unidos.

Foi enviado para participar de uma série de exercícios com outros aviões de combate avançados e praticou manobras de combate aéreo além de alcance visual durante o treinamento, de acordo com a Força Aérea.

O jato tem a responsabilidade importante de abrir caminho para outras aeronaves em uma batalha aérea, disse Zhang Hao, chefe de um centro de testes de voo da Força Aérea que incorporou o jato.

Além do J-20, a AVIC está testando o FC-31, outro avião de combate de quinta geração, e quer usá-lo para explorar o mercado internacional de aviões de combate avançados. A Força Aérea deixou claro que não permitirá exportações do J-20.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas