Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Casal de idosos do Paquistão é o único a ser evacuado de Ghouta Oriental

Um casal de idosos paquistaneses que residia há mais de 30 anos em Ghouta Oriental, o principal reduto opositor dos arredores de Damasco, foram os únicos civis que saíram da zona desde a aplicação das pausas humanitárias propostas pela Rússia, segundo fontes diplomáticas e humanitárias.


EFE

Uma fonte da Embaixada do Paquistão em Damasco disse à Agência Efe por telefone que o casal está "bem de saúde" e que a legação diplomática está empenhada para levá-los ao seu país de origem.


EFE/STR
EFE/STR

"Foram evacuados ontem à noite de Ghouta Oriental pelo Crescente Vermelho da Síria, à qual agradecemos os esforços", apontou a fonte, sem dar mais detalhes.

No Twitter, o Crescente Vermelho confirmou a evacuação da família paquistanesa de Ghouta Oriental.

Estes são os primeiros civis que deixam a região desde que o Governo sírio habilitou um corredor humanitário para a saída dos habitantes de Ghouta Oriental que desejassem ir embora desta zona assediada pelo Exército e controlada por facções rebeldes e islamitas.

Hoje é o terceiro dia que é aplicada em Ghouta Oriental uma pausa humanitária de cinco horas.

A Rússia propôs esta iniciativa após a aprovação o passado fim-de-semana de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, que pedia uma trégua de um mês em toda Síria.

As pausas humanitárias desta semana não conseguiram acabar com a violência em Ghouta Oriental, mas reduziram o número de vítimas pelos ataques.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas