Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Chancelaria russa expulsa de Moscou 23 diplomatas britânicos como personae non gratae

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia declarou personae non gratae 23 funcionários da embaixada do Reino Unido em Moscou, exigindo a sua expulsão no prazo de uma semana, comunica o site oficial da entidade diplomática russa.


Sputnik

"23 funcionários da Embaixada do Reino Unido em Moscou são declarados personae non gratae e expulsos no prazo de uma semana ", diz-se no comunicado.


Embaixada do Reino Unido em Moscou (foto de arquivo)
Embaixada do Reino Unido em Moscou © AP Photo/ Aleksandr Zemlyanichenko

De acordo com o comunicado, tomando em consideração a disparidade no pessoal dos consulados dos dois países, a Rússia também retira seu aval para a abertura e funcionamento do Consulado Geral do Reino Unido em São Petersburgo.

Os respectivos procedimentos serão efetuados em conformidade com os padrões do direito internacional, adiantou o ministério. Para mais, a chancelaria advertiu Londres de que, caso esta promova outras ações hostis em relação à Rússia, ela mantém o direito de introduzir outras medidas de retaliação.

As relações russo-britânicas se agravaram na sequência do envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia. Em 4 de março, eles foram achados inconscientes perto de um shopping em Salisbury, no Reino Unido. De acordo com a polícia, eles foram envenenados com um gás neurotóxico, batizado de Novichok, alegadamente produzido na Rússia.

Em 12 de março, a premiê britânica, Theresa May, acusou a Rússia de estar envolvida no crime, tendo anunciado a expulsão de 23 diplomatas russos e a suspensão de todos os contatos de alto nível.

Moscou, por sua vez, descarta qualquer relação com o crime, enquanto o chanceler russo, Sergei Lavrov, qualificou todas as acusações como "besteira". A Rússia apela a realizar uma investigação conjunta do incidente em Salisbury. Além disso, o Comitê de Instrução russo, por seu turno, iniciou um processo penal relativo ao atentado contra a vida da cidadã russa Yulia Skripal.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas