Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Chancelaria russa: terroristas de Iraque e Síria usam a Ucrânia para chegar à Europa

Militantes estrangeiros que retornam para a Europa depois de participar dos conflitos na Síria e no Iraque estão usando ativamente o território ucraniano, segundo disse à Sputnik o diretor do departamento de novos desafios do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Ilya Rogachev.


Sputnik

"Muitos que retornam da Síria e do Iraque procuram entrar na Ucrânia através da Turquia, já que a Ucrânia tem um regime livre de vistos com a União Europeia. Então, os parceiros ocidentais criaram outro grande problema para eles mesmos. A parte turca tem feito esforços para impedir o trânsito de terroristas no seu território, mas eles não conseguem impedir todos… É relativamente fácil obter um passaporte ucraniano, e por isso os terroristas procuram ir para lá", afirmou Rogachev. 


Bandeiras da Ucrânia e da União Europeia em Kiev
Bandeiras da Ucrânia e da União Europeia em Kiev © Sputnik/ Ramil Sitdikov

De acordo com o funcionário da chancelaria russa, a UE só adotou esse regime livre de vistos com a Ucrânia para encorajar a russofobia de Kiev e revitalizar as aspirações europeias do país. Como resultado, a politização da situação ucraniana levou a um problema de segurança para toda a Europa.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas