Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil abre processo administrativo para apurar vídeo de militares dançando 'Jenifer' em navio

Em nota, a Marinha informou que e 'foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições' e que irá apurar o ocorrido.
Por G1 Rio

A Marinha do Brasil instaurou um processo administrativo para apurar um vídeo em que um grupo de militares aparece dançando a música "Jenifer" em um navio oficial.


A embarcação, segundo a Marinha, é o Aviso de Instrução Guarda-Marinha Brito, que fica sediado no Rio de Janeiro. A gravação foi feita durante o estágio de mar de militares.

Em nota, a Marinha informou que "foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições da Marinha" e que, para ampliar a apuração do ocorrido, foi instaurado um procedimento administrativo "cuja conclusão, certamente, conterá as propostas pertinentes às necessárias correções no inaceitável comportamento".

Assista o vídeo

Clérigo sênior: Irã não busca permissão dos EUA para operar na região

Orador de Orações de sexta-feira de Teerã, criticou as tentativas dos EUA de pressionar o programa de defesa antimíssil do Irã, acrescentando que o Irã não pedirá permissão dos EUA para operar na região.


Pars Today 

Hojatoleslam Kazem Seddiqi começou a cerimônia de preces de sexta-feira nesta semana em Teerã, referindo-se à questão do hijab islâmico, advertindo que os inimigos vão criar outra "sedição" no país através da questão do hijab no Irã.


Clérigo sênior: Irã não busca permissão dos EUA para operar na região
Hojatoleslam Kazem Seddiqi | Reprodução

Referindo-se a algumas pressões do exterior para colocar o Irã em problemas através da questão do hijab, Seddiqi afirmou que a nação iraniana nunca cederá a essas pressões destinadas a criar mais problemas no país.

Ele advertiu os inimigos estrangeiros que as mulheres iranianas são pessoas profundamente piedosas que não cederão às pressões estrangeiras, a fim de impor condições sobre hijab.

Em outro lugar em seu discurso, o líder provisório de orações da sexta-feira de Teerã referiu-se à recente visita do ministro das Relações Exteriores francês a Teerã com mísseis de defesa iranianos em sua agenda, dizendo que ele (Le Drian) atuou como corretor para os EUA, mas recebeu as respostas do Irã aos EUA. exige que o Irã não aceite interferências estrangeiras em seus assuntos internos, incluindo seu programa de defesa antimíssil.

Citando as declarações do líder do Irã ontem, Seddiqi acrescentou que o Irã não pedirá a permissão dos EUA para operar na região, acrescentando que a presença dos EUA visa criar outras "sedições" na região.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas