Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA anunciam criação de arma de 'energia dirigida'

O progresso no uso da tecnologia de "energia dirigida" na área de defesa atingiu seu "ponto de ruptura", comunicou ao portal Space News o chefe do Centro para Tecnologias Promissoras da empresa Lockheed Martin, Nelson Pedreiro.
Sputnik

De acordo com ele, a empresa já havia criado um protótipo de arma a laser capaz de defender bases militares de ataques com drones.


Pedreiro afirmou também que no ano passado a Lockheed Martin demonstrou o funcionamento do sistema ATHENA, de 30 quilowatts, em uma base do exército norte-americano situada no estado de Novo México.

"O sistema atingiu alvos aéreos em pleno voo causando danos estruturais e provocando a perda de controle sobre eles. Os lasers também estão sendo desenvolvidos para a Agência de Defesa de Mísseis como armas antimíssil capazes de abater mísseis balísticos inimigos durante a decolagem", acrescentou o engenheiro.

Anteriormente, o Pentágono fechou o contrato para a criação de um protótipo de míssil de cruzeir…

Exército Brasileiro recebe o 300º Guarani

O Exército Brasileiro segue a pleno vapor o processo de transformação da Infantaria Motorizada em Mecanizada e de modernização da Cavalaria Mecanizada, por intermédio do Programa Estratégico Guarani. 



Forças Terrestres

Sete Lagoas (MG) – 
No dia 16 de março, foi entregue a 300ª unidade da Viatura Blindada para Transporte de Pessoal, Média Sobre Rodas (VBTP-MSR), em Sete Lagoas, sede da empresa IVECO Veículo e Defesa do Brasil, responsável pela produção dessa família de blindados. A cerimônia foi um marco da iniciativa, que visa atender às demandas da Força Terrestre para o cumprimento de suas missões.

O evento festivo contou com as presenças de diversas autoridades civis e militares, prestigiando esse momento significativo para a Base Industrial de Defesa Brasileira. A comitiva visitou a linha de produção e assistiu a uma demonstração do Guarani em ação no campo de provas.

Entrega do 300º Guarani

O Chefe do Estado-Maior do Exército, General de Exército Fernando Azevedo e Silva, ressalta que “o Exército estava sentindo falta de meios mecanizados em suas Brigadas de Infantaria e precisava evoluir nesse sentido”. Ele também aborda que, “além da proteção blindada, o Guarani traz valores agregados, como os sistemas de armas, de comando e controle e de comunicações, representando um grande avanço”.

Por sua vez, o Comandante Logístico, General de Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, acrescenta que a chegada dessa nova viatura à tropa provocou uma adequação no adestramento de pessoal, em razão dos seus recursos tecnológicos. “Por conta da tecnologia embarcada nos carros, tivemos que aprimorar os nossos recursos humanos. A parte de comando e controle, por exemplo, exige conhecimentos específicos daquele sargento que será o mecânico da viatura. Então, estamos criando a Qualificação Militar Blindados, para que o profissional se especialize cada vez mais e tenha plenas condições de trabalhar com esses equipamentos”.

O Programa Guarani proporcionou a criação de 2.890 empregos diretos e indiretos, envolveu a participação de 125 empresas fornecedoras de insumos, sendo 90% de origem nacional. O Presidente da IVECO/CNHI, Vilmar Fistarol, acredita que a iniciativa é um marco histórico no desenvolvimento da indústria de defesa nacional. “A parceria com o Exército é de suma importância em vários aspectos. Dentre eles, destaco a questão do desenvolvimento conjunto e da transferência de uma tecnologia que não era dominada, representando um patrimônio importante não só para o Exército como também para a nação brasileira”.

O Ministro do Desenvolvimento, Planejamento e Gestão, Dyogo Henrique de Oliveira, salienta que, a despeito do vigente processo de ajuste das contas públicas, programas como o Guarani continuam sendo prioritários. “É importante que o Brasil possua Forças Armadas bem equipadas e preparadas, a fim de defenderem os interesses nacionais. O compromisso é procurar sempre preservar os recursos necessários para a manutenção dos projetos de Defesa, a exemplo do Guarani”.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Postar um comentário