Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Exército Brasileiro recebe o 300º Guarani

O Exército Brasileiro segue a pleno vapor o processo de transformação da Infantaria Motorizada em Mecanizada e de modernização da Cavalaria Mecanizada, por intermédio do Programa Estratégico Guarani. 



Forças Terrestres

Sete Lagoas (MG) – 
No dia 16 de março, foi entregue a 300ª unidade da Viatura Blindada para Transporte de Pessoal, Média Sobre Rodas (VBTP-MSR), em Sete Lagoas, sede da empresa IVECO Veículo e Defesa do Brasil, responsável pela produção dessa família de blindados. A cerimônia foi um marco da iniciativa, que visa atender às demandas da Força Terrestre para o cumprimento de suas missões.

O evento festivo contou com as presenças de diversas autoridades civis e militares, prestigiando esse momento significativo para a Base Industrial de Defesa Brasileira. A comitiva visitou a linha de produção e assistiu a uma demonstração do Guarani em ação no campo de provas.

Entrega do 300º Guarani

O Chefe do Estado-Maior do Exército, General de Exército Fernando Azevedo e Silva, ressalta que “o Exército estava sentindo falta de meios mecanizados em suas Brigadas de Infantaria e precisava evoluir nesse sentido”. Ele também aborda que, “além da proteção blindada, o Guarani traz valores agregados, como os sistemas de armas, de comando e controle e de comunicações, representando um grande avanço”.

Por sua vez, o Comandante Logístico, General de Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, acrescenta que a chegada dessa nova viatura à tropa provocou uma adequação no adestramento de pessoal, em razão dos seus recursos tecnológicos. “Por conta da tecnologia embarcada nos carros, tivemos que aprimorar os nossos recursos humanos. A parte de comando e controle, por exemplo, exige conhecimentos específicos daquele sargento que será o mecânico da viatura. Então, estamos criando a Qualificação Militar Blindados, para que o profissional se especialize cada vez mais e tenha plenas condições de trabalhar com esses equipamentos”.

O Programa Guarani proporcionou a criação de 2.890 empregos diretos e indiretos, envolveu a participação de 125 empresas fornecedoras de insumos, sendo 90% de origem nacional. O Presidente da IVECO/CNHI, Vilmar Fistarol, acredita que a iniciativa é um marco histórico no desenvolvimento da indústria de defesa nacional. “A parceria com o Exército é de suma importância em vários aspectos. Dentre eles, destaco a questão do desenvolvimento conjunto e da transferência de uma tecnologia que não era dominada, representando um patrimônio importante não só para o Exército como também para a nação brasileira”.

O Ministro do Desenvolvimento, Planejamento e Gestão, Dyogo Henrique de Oliveira, salienta que, a despeito do vigente processo de ajuste das contas públicas, programas como o Guarani continuam sendo prioritários. “É importante que o Brasil possua Forças Armadas bem equipadas e preparadas, a fim de defenderem os interesses nacionais. O compromisso é procurar sempre preservar os recursos necessários para a manutenção dos projetos de Defesa, a exemplo do Guarani”.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Postar um comentário

Postagens mais visitadas