Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono nega que avião russo tenha 'expulsado' bombardeiro americano do Báltico

O Pentágono não concorda que o bombardeiro estratégico norte-americano B-52H tenha sido expulso por um caça russo Su-27 sobre o mar Báltico, comunicou à Sputnik o representante da entidade militar americana Eric Pahon.
Sputnik

"O avião da Força Aérea dos EUA B-52H realizava operações rotineiras no espaço aéreo internacional segundo o princípio da liberdade de navegação e de voo. Em 20 de março, o B-52H teve um encontro ordinário com um Su-27 russo que efetuava operações sobre o mar Báltico", esclareceu o porta-voz do Pentágono.

Pahon acrescentou que o Su-27 não expulsou o B-52H, que conseguiu completar a sua missão.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo de caças russos escoltando um bombardeiro estratégico americano Boeing B-52H sobre as águas neutras do mar Báltico. Segundo o comunicado, dois caças Su-27 levantaram voo para identificar e acompanhar a aeronave dos EUA.

De acordo com o Ministério, após o B-52H ter mudado de trajetória, distanciando-se da f…

Exército turco nega ter atacado hospital em Afrin

O comando militar turco negou nesta sexta-feira (16) a realização de um acidente aéreo mortal em um hospital na cidade curda de Afrin, que supostamente matou 11 pessoas e deixou dezenas feridas.


Sputnik

"Declarações de que o exército turco bombardeou um hospital em Afrin são falsas". "A operação Ramo de Oliveira está sendo conduzida de forma a excluir qualquer dano aos civis", disseram os militares em suas mensagens no twitter.


Tropas turcas na colina Bursayah, que separa Afrin de Azaz
Tropas turcas na Síria © AP Photo/ STR

Um médico do hospital disse anteriormente que o ataque aéreo causou sérios danos à instalação. O número de mortos subiu de 11 para 16 segundo as informações mais recentes. O ataque aconteceu menos de um dia após 30 pessoas terem sido mortas no ataque turco aéreo e de artilharia contra Afrin.

Em 20 de janeiro, a Turquia lançou a operação Ramo de Oliveira, uma ação transfronteiriça massiva, visando "limpar" a cidade síria de Afrin das Unidades de Proteção Popular curdas (YPG), que Ancara considera como um grupo terrorista e uma extensão do proibido Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) turco.

O presidente da Síria, Bashar Assad, tem condenado repetidamente a operação turca contra Afrin. Ele enfatiza que a cidade se trata de uma parte inalienável do território sírio, e critica as ações do exército da Turquia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas