Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

FDS enviam combatentes para lutar contra tropas turcas em Afrin

As Forças Democráticas da Síria (FDS), apoiadas pelos EUA, anunciaram que estão enviando contingentes para ajudar os combatentes das Unidades de Proteção Popular (YPG) na luta contra o Exército da Turquia em Afrin.


Sputnik

"Fomos forçados a tomar uma decisão que não queríamos. Nós lamentamos, mas, hoje, tomamos a dolorosa decisão de realocar nossos combatentes da região a leste do Eufrates, na província de Deir ez-Zor, para o fronte de Afrin, para reprimir a criminosa agressão turca", disseram as FDS através de um comunicado, condenando a inércia da comunidade internacional diante das ações da Turquia. 


Combatentes pró-Turquia e tropas turcas na colina que separa Afrin da cidade turca de Azaz
Combatentes pró-Turquia e tropas turcas em Afrin, Síria © AP Photo/ STR

Tropas turcas realizam, desde o final de janeiro, uma ofensiva no norte da Síria com o objetivo de eliminar as facções armadas curdas na região, consideradas organizações terroristas por Ancara. Justamente por considerar as YPG e outros grupos curdos da Síria extremistas, as autoridades turcas se recusam a respeitar a trégua da ONU em Afrin, a qual, estabelecida através de uma resolução do Conselho de Segurança, deveria se estender por todo o território sírio, excetuando apenas as operações contra organizações como o Daesh e a Frente al-Nusra.

O governo do presidente Bashar Assad considera a operação Ramo de Oliveira, levada a cabo pela Turquia em Afrin, uma violação da soberania síria.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas