Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

OTAN se prepara para maiores exercícios militares desde 2002

A OTAN está se preparando para realizar seus maiores exercícios militares desde 2002. Trata-se dos Trident Juncture 2018, dos quais participarão mais de 40.000 militares de 30 países membros e parceiros da OTAN.
Sputnik

A fase principal das manobras irá ser realizada entre os dias 25 de outubro e 7 de novembro, na Noruega e áreas vizinhas, com exercícios preliminares nas águas ao largo da costa da Islândia de 15 a 17 de outubro.

Defender-se contra 'qualquer ameaça em qualquer momento'

O objetivo dos exercícios é a dissuasão e defesa contra "qualquer ameaça, de qualquer lugar e em qualquer momento", explicou nesta semana o almirante da Marinha dos EUA a jornalistas em Bruxelas, James G. Foggo III, comandante dos exercícios.

O militar revelou que os Trident Juncture mostram que a OTAN está unida e pronta para se defender valendo-se da defesa coletiva. Neste sentido, o cenário dos exercícios inclui uma violação da soberania de um aliado da OTAN, neste caso da Noruega.

Ao mesm…

Fora 'forças ocupantes': Síria pretende dar resposta a EUA e Turquia

Bouthaina Shaaban, a assessora do presidente sírio, Bashar Assad, expressou a firme posição da nação síria quanto a sua determinação de lutar contra a ocupação externa.


Sputnik

Durante seu discurso dedicado ao aniversário do Dia da Terra Palestina, data em que recordam a morte de seis palestinos mortos a tiro pelas Forças de Defesa de Israel em 1976, a assessora do presidente expressou a firme posição que o país segue na política externa.


Militares sírios acenam com as mãos depois de ter tomado o controle da vila de Kiffin, província de Aleppo, Síria, 11 de fevereiro de 2016
Militares sírios em Aleppo © AFP 2018/ GEORGE OURFALIAN

"Estamos [sírios] determinados a libertar o território sírio dos terroristas e forças ocupantes da Turquia e EUA", confirmou, citada pela agência Sana.

Bouthaina Shaaban quer EUA fora, Trump não tem nada contra

Previamente, nesta quinta-feira (29), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que os EUA pretendem retirar as forças da Síria "muito em breve" e "deixar que outros cuidem disso".

A Síria vive desde março de 2011 um conflito armado em que tropas governamentais são confrontadas por grupos armados de oposição e organizações terroristas.

A coalizão internacional liderada pelos EUA realiza operações contra os terroristas do Daesh (organização terrorista proibida em vários países, incluindo a Rússia) no país desde 2014.

Persistência da Turquia e reação de Damasco

Em 20 de janeiro, Ancara, juntamente com o Exército Livre da Síria (forças de oposição), lançou a "Operação Ramo de Oliveira" na cidade de Afrin, controlada pelos curdos, com o objetivo de "limpar" a fronteira da Turquia com a Síria da ameaça terrorista.

Em 24 de março o Estado-Maior do Exército turco declarou estabelecer o controle total sobre a área de Afrin.

Damasco tem qualificado a operação como uma violação da soberania da Síria.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas