Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Forças Armadas e polícias fazem operação no Lins; Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá chegou a ser fechada

Via expressa foi interditada nos dois sentidos no início da manhã desta terça-feira (27). Cerca de 4 mil homens participam da ofensiva, que é a maior realizada pela intervenção federal. Sete foram presos, e duas pessoas, levadas pelo Exército para a Cidade da Polícia.


Por Fernanda Rouvenat | G1 Rio

Quase 4 mil homens — 3.400 militares das Forças Armadas, 150 policiais militares e 350 policiais civis do Rio de Janeiro — fazem uma operação nesta terça-feira (27) em comunidades do Lins de Vasconcelos, na Zona Norte do Rio. Até as 10h30, sete pessoas haviam sido presas, e duas, levadas pelo Exército à Cidade da Polícia.

Ofensiva fechou a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá (Foto: Infografia: Juliane Souza/G1)
Ofensiva fechou a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá (Foto: Infografia: Juliane Souza/G1)

De acordo com o Comando Militar do Leste (CML), essa é a maior operação realizada após o decreto de intervenção federal na segurança pública do Rio. Os homens contam com o apoio de blindados, aeronaves e equipamentos pesados de engenharia.

Por volta das 2h, policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), com apoio de um blindado, entraram na comunidade. Houve confronto com criminosos e troca de tiros que durou 15 minutos. Por volta das 6h, o Exército cercou a comunidade, e não houve mais registros de tiroteio.

A Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá foi fechada no início da manhã nos dois sentidos, e foi reaberta apenas às 15h40.

Segundo a concessionária que administra a Linha Amarela, por volta das 9h, a pista lateral no sentido Barra chegou a ser interditada devido a um protesto do Sindicato dos Empregados nas Empresas Concessionárias de Rodovias em Geral no Estado Rio de Janeiro. O trânsito foi liberado cerca de 20 minutos depois.

Na manhã desta terça, as Forças Armadas também fazem operação em penitenciária de Bangu, em batalhões especiais da Polícia Militar e fazem patrulhamento em regiões da Zona Sul e Centro do Rio.

O complexo de favelas tem uma Unidade de Polícia Pacificadora desde dezembro de 2013, mas é considerado um dos principais esconderijos de quadrilhas de roubo de carga na Região Metropolitana. Em janeiro, o Globocop flagrou criminosos descarregando aparelhos eletrônicos furtados.

Mais de 100 policiais de delegacias especializadas e distritais participam da ação, que envolve cerco e desobstrução de vias. Serão cumpridos mandados de prisão por parte da Polícia Civil.

Outras ações

Em agosto do ano passado, homens das Forças Armadas em conjunto com as polícias estadual e federal realizaram uma megaoperação, batizada de Onerat, para combater o roubo de cargas e o tráfico de drogas na região do Lins de Vasconcelos. Ao todo, a ação reuniu 5 mil homens.

No início desse mês, homens do Exército, da Polícia Civil e da Polícia Rodoviária Federal fizeram uma operação no Conjunto de Favelas do Salgueiro, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Quase mil militares e 170 policiais, sendo 100 civis e 70 agentes rodoviários, participaram da ação.

O helicóptero das Forças Armadas lançou panfletos para a população denunciar criminosos da região. As forças de segurança garantem o anonimato das denúncias. Os militares também ficaram responsáveis pela revista de automóveis e pessoas.

Também neste mês o Gabinete Integrado fez operação na Vila Kennedy, em Bangu. Foram cinco presos. Dias depois, em apoio às forças da intervenção, a prefeitura derrubou barracas de comércio na Praça Miami.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas