Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Irã desmente suposto envio de armas ao Iêmen

O ministro iraniano de Defesa, Amir Hatami, desmentiu acusações sobre o suposto envio de armas ao Iêmen, um plano dos Estados Unidos e seus aliados, afirmou, para desviar a atenção de seus crimes no país árabe.


Prensa Latina

Teerã - 'Enquanto Iêmen estiver sob estreito assédio e bloqueado para receber medicamentos e alimentos, o fornecimento de armas e mísseis é impossível', assegurou o general de brigada durante um encontro com a embaixadora holandesa, Susana Trestal, difundido hoje aqui.

Ministro iraniano de Defesa, Amir Hatami | Reprodução

Estadunidenses e seus aliados tentam confundir a opinião pública mundial dos crimes que são cometidos na nação árabe, afirmou.

Hatami exortou aos Países Baixos, como membro não permanente do Conselho de Segurança da ONU, a tomar posições para evitar o massacre de mulheres, crianças e outras pessoas inocentes no Iêmen.

Anteriormente, um comunicado da chancelaria iraniana rechaçou acusações da Arábia Saudita sobre a suposta entrega por Teerã de mísseis e armas ao Iêmen.

Os comentários de funcionários sauditas estão muito relacionados com o desespero do reino por seu fracasso no Iêmen, precisou o porta-voz do Ministério iraniano de Relações Exteriores, Bahram Qassemi.

Quando Riad e seus aliados, incluindo os Emirados Árabes Unidos, começaram a guerra, pensaram que podiam alcançar seu objetivo de ocupação, mas após três anos, somos testemunhas do afundamento da Arábia Saudita no pântano e de seus propósitos frustrados, explicou Qassemi.

Segundo o porta-voz, Irã não enviou armas àquela nação árabe que sempre dispôs de muito armamento no passado proveniente da desaparecida União Soviética.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas