Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Lavrov: defesa antimíssil dos EUA no Japão afeta diretamente segurança da Rússia

Planos dos EUA que preveem posicionar o sistema de defesa antimíssil global diretamente influenciam a segurança da Rússia, afirma o chefe da Chancelaria russa Sergei Lavrov.


Sputnik

Recentemente o ministro das Relações Exteriores da Rússia realizou negociações com seu homólogo japonês, Taro Kono.


Sistema de defesa antimíssil estadunidense Aegis Ashore
Sistema de defesa antimísseis norte-americano Aegis Ashore | CC BY 2.0 / Agência de Defesa Antimíssil dos EUA / FTO-02-E1a-002

"Concordamos em continuar o mesmo diálogo de modo construtivo e ouvir um ao outro com atenção", afirmou ministro russo.

Entretanto, Lavrov destacou que a Rússia respeita o direito do Japão de proteger seu território, mas ao mesmo tempo, solicita para que siga o princípio da "indivisibilidade da segurança" que garante a realização dos interesses nacionais e não prejudica a segurança de outros países.

Seu homólogo do Japão, afirmou que o sistema de defesa antimíssil, posicionado no território japonês, tem um "caráter excepcionalmente defensivo, direcionado para proteger vidas e propriedades do povo" do país.

"Não representa ameaça nenhuma à Rússia", assegurou Taro Kono.

Em dezembro do ano passado, o governo japonês decidiu posicionar os complexos terrestres de defesa antimíssil americana Aegis Ashore em seu território.

A decisão do Japão de adquirir as instalações de defesa de mísseis dos EUA Aegis Ashore é motivada pelas ações provocativas da Coreia do Norte. O aprimoramento do setor de defesa tem sido a nova tendência no Japão nos últimos anos devido ao aumento das tensões na península coreana que aumentaram após os testes recentes de mísseis da Coreia do Norte.

Planeja-se sua instalação no noroeste e sudoeste do Estado. Tóquio afirma que o sistema poderá proteger todo o território do país, devendo entrar em serviço até 2023.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas