Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

Lavrov: EUA interferem em outros países por ambições 'neo-imperialistas'

A crítica feita pelo secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, na Etiópia sobre a política da China na África é inapropriada, disse o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov. Do Zimbábue, Lavrov criticou os EUA por interferirem nos assuntos de outros países, buscando ambições neo-imperialistas.


Sputnik

"Eu não sabia que Rex Tillerson é especialista em relações chinês-americanas", disse Lavrov depois de se encontrar com o presidente Emmerson Mnangagwa em Harare. Ele acrescentou que "não é exatamente apropriado" para Tillerson falar sobre as relações da África com outros países, enquanto convidado dos africanos — especialmente de uma maneira tão "negativa".


Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, durante reunião com o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, nas margens da cúpula da ASEAN em Manila
Sergei Lavrov © Sputnik/ Vitaliy Belousov

Lavrov fez sua declaração quase ao mesmo tempo em que seu colega americano estava a cerca de 3.000 km mais ao norte — onde ele alertou os africanos sobre a influência da China. Tillerson pediu aos países africanos que avaliem cuidadosamente os benefícios dos empréstimos chineses em uma coletiva de imprensa na capital etíope, Addis Abeba, durante sua primeira viagem diplomática ao continente.

"Não estamos de forma alguma tentando manter dólares chineses fora da África", afirmou.

Ao interferir nos assuntos internos de outras nações, os EUA parecem estar perseguindo ambições "neo-imperialistas", disse Lavrov. "Nós não compartilhamos essa abordagem. Considero isso ‘neo-imperialista’. E nunca seguiremos essas políticas", acrescentou.

Lavrov acrescentou que a Rússia "nunca interferiu nos assuntos de outros países, apesar de Washington e outros países ocidentais reivindicarem o contrário diariamente". Ele ainda ressaltou que "nenhum fato disso foi apresentado" por quem acusa Moscou.

Entretanto, o ministro russo negou as afirmações do Departamento de Estado dos EUA sobre a ausência de discussões EUA-Rússia sobre um possível encontro entre ele e o secretário de Estado norte-americano.

"Eu não queria fazer um comentário sobre este assunto, mas hoje o Departamento de Estado dos EUA afirmou que não houve discussões sobre a nossa possível reunião com [Tillerson]. Posso dizer que isso é falso", concluiu.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas