Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Lavrov, "sem palavras" em face de ameaça do ataque dos EUA contra a Síria.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, disse na terça-feira que se sentir escandalizado pela ameaça dos Estados Unidos de recorrer unilateralmente à força na Síria e por proposta de uma nova resolução das Nações Unidas sobre o país árabe.


Pars Today


"Eu não tenho mais um termo normal para descrever isso", estou "sem palavras". disse Lavrov durante uma conferência de imprensa na qual ele comentou a iniciativa dos EUA para uma nova trégua na Síria.


Lavrov,
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov | Reprodução

O chanceler russo aludiu desta forma, à proposta de Washington de que o Conselho de Segurança das Nações Unidas (UNSC) emita uma nova resolução como alternativa à resolução anterior 2401, cuja aplicação analisou o órgão e há duas semanas processou um cessar-fogo de 30 dias em toda a Síria.

A proposta de Washington, na opinião do titular russo, responde "a incapacidade de cumprir com a resolução 2401 na parte que se refere aos combatentes apoiados pelo Ocidente e com a desculpa de que a Rússia, o Irã e o governo sírio não puderam garantir a trégua”.

Lavrov também marcou a declaração da embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, como ultrajante, que em seu discurso perante o Conselho de Segurança da ONU disse na segunda-feira que "os Estados Unidos, um país pacífico, podem a qualquer momento atacar as forças do governo sírio, como fizeram um ano atrás, quando atacaram a base aérea de Al-Shairat, na província de Homs (centro).

Os Estados Unidos propuseram ontem no UNSC uma resolução para uma nova trégua em Damasco e na região de Ghouta Oriental - uma batalha dos grupos armados - e advertiu que se a comunidade internacional não agir, os EUA poderiam fazê-lo sozinho pela força.

O chefe do Estado-Maior russo, Valery Gerasimov, advertiu no mesmo dia que se a Rússia detectar uma ameaça vital para os militares russos na Síria, como ameaçada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (o Pentágono), não deixará essas ofensas sem resposta.

A Síria, por sua vez, adverte que as ameaças dos EUA contra o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, poderiam inflamar os terroristas e dar-lhes a mão livre para lançar ataques químicos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas