Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Lavrov, "sem palavras" em face de ameaça do ataque dos EUA contra a Síria.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, disse na terça-feira que se sentir escandalizado pela ameaça dos Estados Unidos de recorrer unilateralmente à força na Síria e por proposta de uma nova resolução das Nações Unidas sobre o país árabe.


Pars Today


"Eu não tenho mais um termo normal para descrever isso", estou "sem palavras". disse Lavrov durante uma conferência de imprensa na qual ele comentou a iniciativa dos EUA para uma nova trégua na Síria.


Lavrov,
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov | Reprodução

O chanceler russo aludiu desta forma, à proposta de Washington de que o Conselho de Segurança das Nações Unidas (UNSC) emita uma nova resolução como alternativa à resolução anterior 2401, cuja aplicação analisou o órgão e há duas semanas processou um cessar-fogo de 30 dias em toda a Síria.

A proposta de Washington, na opinião do titular russo, responde "a incapacidade de cumprir com a resolução 2401 na parte que se refere aos combatentes apoiados pelo Ocidente e com a desculpa de que a Rússia, o Irã e o governo sírio não puderam garantir a trégua”.

Lavrov também marcou a declaração da embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, como ultrajante, que em seu discurso perante o Conselho de Segurança da ONU disse na segunda-feira que "os Estados Unidos, um país pacífico, podem a qualquer momento atacar as forças do governo sírio, como fizeram um ano atrás, quando atacaram a base aérea de Al-Shairat, na província de Homs (centro).

Os Estados Unidos propuseram ontem no UNSC uma resolução para uma nova trégua em Damasco e na região de Ghouta Oriental - uma batalha dos grupos armados - e advertiu que se a comunidade internacional não agir, os EUA poderiam fazê-lo sozinho pela força.

O chefe do Estado-Maior russo, Valery Gerasimov, advertiu no mesmo dia que se a Rússia detectar uma ameaça vital para os militares russos na Síria, como ameaçada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (o Pentágono), não deixará essas ofensas sem resposta.

A Síria, por sua vez, adverte que as ameaças dos EUA contra o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, poderiam inflamar os terroristas e dar-lhes a mão livre para lançar ataques químicos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas