Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Mais de 100 mil pessoas deixaram Ghouta Oriental por corredores do Exército

Pelo menos 132 mil pessoas saíram de zonas opositoras da região de Ghouta Oriental, em meio a uma ofensiva do Exército sírio, para zonas controladas pelas autoridades nos passados nove dias, informou neste sábado o Observatório Sírio de Direitos Humanos.


EFE

A fonte detalhou que cerca de 95% delas são civis e atravessaram através do corredor aberto pelas forças armadas no campo de refugiados palestinos de Al Wafidin, que une as zonas controladas pelas facções opositoras com as áreas sob controle do Exército.


EFE/ Youssef Badawi
EFE/ Youssef Badawi

Os residentes de Ghouta Oriental começaram a deixar seus lares no último dia 15, quando as forças governamentais asseguraram seu controle sobre parte da região e abriram esses corredores, depois de ter mantido um sítio sobre a área durante vários anos.

Por outro lado, o Observatório destacou que 37 mil civis permanecem nas localidades de Ain Tarma, Kafr Batna e Saqba, que as tropas sírias conquistaram nos passados dias.

Enquanto isso, centenas de pessoas estão saindo das populações de Zamalka e Arbin, em virtude de um acordo entre a Legião da Misericórdia e o Organismo de Libertação do Levante, como se denomina a ex-filial síria da Al Qaeda.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas