Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

Marinha russa recebe 3 submarinos nucleares de 4ª geração

A Marinha russa recebeu três submarinos nucleares de quarta geração. Os navios já foram colocados no serviço e cumprem suas tarefas, afirmou no sábado o comandante-chefe da Marinha russa, almirante Vladimir Korolev.


Sputnik

Segundo o almirante, dois grupos navais da Frota do Norte e do Pacífico receberão os mais recentes cruzadores submarinos de quarta geração da classe Borei.


Submarino russo Vladimir Monomakh em Kamchatka (imagem referencial)
Submarino russo Valdimir Monomakh © Sputnik/ Ildus Gilyazutdinov

"Atualmente, da Marinha já fazem parte e realizam missões militares os cruzadores Yuri Dolgoruky, Aleksandr Nevsky e Vladimir Monomakh", disse Korolev à mídia russa.

Além disso, nos próximos três anos a Marinha do país receberá 40 robôs marítimos.

"Planejamos nos próximos três anos obter 40 sistemas robotizados, que realizarão exames e assistência aos submarinos sem riscos para as pessoas", afirmou o comandante.

Hoje em dia, as unidades de salvamento da Marinha russa possuem cerca de 150 batiscafos não tripulados teleguiados, acrescentou Korolev.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas