Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Mídia: Daesh está preparando grande ofensiva na Síria

O grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em outros países) está concentrando forças para um ataque maciço contra forças sírias no leste do país, perto da fronteira iraquiana, informou nesta quarta-feira (7) o jornal Al-Masdar News.


Sputnik

Segundo as fontes, citadas pela edição, é muito provável que os terroristas estejam tentando recuperar o controle sobre as regiões-chave ao longo dos rios Eufrates e Khabur, onde há uma variedade de grandes cidades e campos de petróleo.


Soldado segurando bandeira do Daesh em Raqqa, Síria
Soldado segurando bandeira do Daesh em Raqqa, Síria © AP Photo/ Asmaa Waguih

Caso a informação seja verdadeira, os terroristas terão como alvos os militantes sírios, apoiados pelos EUA, que se baseiam nas províncias de Deir ez-Zor e Al-Hasakah.

A fonte sublinha que as posições dos militantes estão muito fracas comparadas com as das forças governamentais sírias e tropas iraquianas.

Além disso, o Daesh ganhou tempo para se reagrupar, pois parte das forças que resistiam aos terroristas, dirigiram-se à região de Afrin, onde a Turquia está realizando a operação Ramo de Oliveira contra os curdos.

De acordo com Al-Masdar News, o Daesh ainda possui milhares de combatentes nas zonas desertas na margem leste do Eufrates.

No fim de fevereiro, altos funcionários estadunidenses expressaram preocupações de que detenções em massa dos membros do Daesh podem provocar a recuperação do grupo terrorista.

Em particular, um funcionário, que preferiu permanecer anônimo, lembrou que o líder do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi havia sido preso em 2004 em um dos maiores centros de detenção norte-americanos, o Camp Bucca, no Iraque. Foi então que ele começou a criar a rede terrorista, recrutando outros prisioneiros, para que os EUA não pudessem reagir a tempo.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas