Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

Militantes de Ghouta Oriental prometem libertar civis em troca de ajuda humanitária

Um comboio de caminhões humanitários do Crescente Vermelho planeja entrar em Ghouta Oriental nesta segunda-feira (5), comunicou o correspondente da Sputnik.


Sputnik

Os militantes na área de Ghouta Oriental prometeram libertar civis em troca de ajuda humanitária, comunicou o Centro para a Reconciliação na Síria russo. 


Homem com crianças em Ghouta Oriental
Ghouta Oriental © AP Photo/ Salve as crianças

Nesta segunda-feira (5), 45 caminhões com ajuda humanitária e hospitais móveis fizeram fila na entrada do povoado de Muhayam-Al-Wafedin que leva ao corredor humanitário de Ghouta Oriental. A ajuda humanitária inclui alimentos, medicamentos e produtos de primeira necessidade. Seu volume total corresponde a aproximadamente 247 toneladas. A entrega da carga deve ocorrer com o apoio do Centro para a Reconciliação na Síria.

A sétima pausa humanitária diária em Ghouta Oriental começou nesta segunda-feira (5), às 9h00 GMT (4h00 do mesmo dia em Brasília), e vai durar cinco horas.

Ghouta Oriental permanece um dos últimos bastiões dos terroristas na Síria; a cidade é controlada pelos grupos Tahrir al-Sham, sucessor da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia), Faylaq al-Rahman, Ahrar al-Sham e Jaysh al-Islam, que repetidamente atacam os subúrbios e o centro da capital síria. No terceiro trimestre do ano passado foram assinados acordos sobre a zona de desescalada de Ghouta Oriental. A situação na cidade se agravou nas últimas duas semanas.

Anteriormente, o Conselho da Segurança da ONU aprovou uma resolução que prevê um cessar-fogo de 30 dias em todo o território da Síria. Não obstante, os radicais continuam atacando.

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu comunicou que, por ordem do presidente russo Vladimir Putin, desde 27 de fevereiro, em Ghouta Oriental foi introduzida uma pausa humanitária diária, das 9h00 às 14h00 GMT. Apesar disso, de acordo com o Centro para a Reconciliação na Síria, os militantes continuam impedindo os civis de saírem da cidade, ameaçando-os e proibindo-os de atravessar o corredor humanitário.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas