Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Ministro da Defesa britânico: 'Rússia deve ir embora e se calar'

Gavin Williamson, ministro britânico da Defesa, comentou possíveis medidas de retaliação de Moscou à expulsão de 23 diplomatas russos do Reino Unido.


Sputnik

"Vamos fazê-lo [introduzir medidas anunciadas] e vamos ver como a Rússia responderá. Trata-se de um ato extremamente cruel e desonroso realizado pela Rússia em Salisbury. Nós respondemos a ela. Francamente, a Rússia deve ir embora e se calar", declarou Williamson em Bristol.


Secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson
Gavin Williamson, ministro britânico da Defesa © REUTERS/ Simon Dawson

Williamson assinalou também que Londres avaliará atenciosamente as medidas de resposta russas.

"Seria incorreto avaliar resposta [da Rússia] com antecedência", acrescentou.

Em 14 de março, a primeira-ministra britânica, Theresa May, acusou a Rússia de se envolver no envenenamento do ex-expião Sergei Skripal e de sua filha Yulia. Por sua vez, Moscou desmente quaisquer acusações, sugerindo, além do mais, realização de uma investigação conjunta do incidente com Londres.

De fato, Theresa May ignorou as afirmações de Moscou e nesta quarta-feira (14) anunciou a introdução de um pacote de medidas contra a Rússia. Assim, Londres exigiu expulsão de 23 diplomatas russos, sem contar na suspensão de todos os contatos bilaterais. Além disso, o país retirará o convite ao chanceler russo, Sergei Lavrov, para visitar a capital britânica.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas