Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

Ministro japonês admite estudo do uso de caças F-35B em porta-helicópteros

O ministro da Defesa do Japão, Itsunori Onodera, deixou cair com uma bomba em 2 de março a notícia de que autorizou estudos sobre se os aviões de combate avançados e furtivos F-35B podem ser empregados no porta-helicópteros Izumo da Força Marítima de Autodefesa do Japão (JMSDF).


Por Ryo Aibara | 
The Asahi Shimbun | Poder Naval

Essa atividade passaria perante o artigo 9 da Constituição, que renuncia à guerra e que proíbe o Japão de manter mais do que o mínimo para se proteger.


Destróier porta-helicópteros Izumo DDH-183

Consciente das ramificações políticas de seu comentário na sessão do Comitê de Orçamento da Câmara Alta, Onodera acrescentou: “Ainda não foi tomada uma decisão sobre se o F-35B será efetivamente empregado no Izumo”.

O Izumo é o maior navio da frota da JMSDF e qualquer mudança para transformá-lo em um porta-aviões enfrentaria um alvoroço dos partidos da oposição.

Akira Koike, do Partido Comunista Japonês, chamou o comentário de Onodera de “uma importante admissão” à luz da recusa do governo no passado de possuir um porta-aviões devido à postura exclusivamente defensiva da nação.

“Mas ele (Onodera) está agora dizendo que consideração está sendo dada para mudar fundamentalmente a postura da nação”, disse Koike.

O F-35B fabricado pelos EUA é o avião de combate furtivo mais avançado e, ao contrário do F-35A agora usado pela AJSDF (Força Aérea de Autodefesa do Japão), pode decolar de uma pista curta e também pousar verticalmente como um helicóptero.

Na sessão do Comitê Orçamentário da Câmara Alta, Onodera disse: “No que diz respeito ao Izumo, estudos foram conduzidos sobre as quais aeronaves poderiam decolar e pousar. O avião mais representativo é o F-35B. O estudo é destinado a acumular informações fundamentais, independentemente da conclusão alcançada no futuro”.

Mas ele não declarou se a Constituição proibia a posse de um porta-aviões. Ele só disse que os porta-aviões de “ataque” que têm muitas aeronaves capazes de poder destrutivo extremo ou capacidades de ataque terrestre não seriam permitidos.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas