Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Moscou: Londres abafando dados sobre caso Skripal sugere envolvimento de inteligência

Falar diretamente sobre um envolvimento britânico no incidente com envenenamento do ex-espião russo, Sergei Skripal, e sua filha Yulia, é difícil, mas o fato de Londres estar abafando as informações sobre o caso faz pensar sobre envolvimento dos serviços secretos britânicos, disse hoje (31) a representante oficial da chancelaria russa.


Sputnik

"Até agora, nós não temos dados sobre este caso. As únicas informações oficiais que recebemos do Reino Unido chegaram ontem e têm a ver com a melhoria do estado de saúde de Yulia Skripal. Por isso é difícil falar diretamente sobre o envolvimento do Reino Unido e seus altos responsáveis oficiais no caso, mas há certas suspeitas em respeito a isso", afirmou Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, neste sábado ao canal de TV russo Pyaty Kanal.


Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, durante uma coletiva em Moscou
Maria Zakharova © Sputnik/ Alexander Vilf

De acordo com a diplomata, "a ocultação de informações e o fato de não serem divulgados detalhes do acontecido faz pensar que, de fato, isto pode estar relacionado, particularmente, com os serviços secretos britânicos".

Nesta semana, uma série de países da União Europeia, bem como os EUA, o Canadá, a Noruega, a Ucrânia e vários outros, decidiram expulsar diplomatas russos na sequência do incidente de Salisbury, onde em 4 de março foi envenenado o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia.

A parte britânica assegura que o uso da substância A-234 para efetuar o crime tem a ver com o envolvimento russo, enquanto Moscou o descarta categoricamente e já está tomando medidas de represália.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas