Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Oposição síria toma controle sobre cidade de Afrin, diz mídia

Os grupos de oposição do Exército Livre da Síria, juntamente com militares turcos, entraram na cidade de Afrin tomando-a sob seu controle, declarou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan neste domingo (18), citado pela mídia local.


Sputnik

"Hoje, às 8h30, as unidades do Exército livre da Síria, apoiadas pelas Forças Armadas da Turquia, entraram em Afrin. A maioria dos terroristas fugiram", disse o líder turco, citado pelo canal NTV.


Militantes do opositor Exército Livre da Síria, apoiados pela Turquia, caminham em direção da cidade síria de Afrin, 17 de março de 2018
Militantes do Exército Livre da Síria apoiados pelo exército turco em Afrin, Síria © REUTERS/ Khalil Ashawi

Segundo ele, os militares turcos e a oposição síria estão desativando minas que os "terroristas" deixaram antes de abandonarem a cidade.

Anteriormente, o porta-voz de Erdogan, Ibrahim Kalin, afirmou que as autoridades turcas não iriam entregar a Damasco o território de Afrin que Ancara está controlando como resultado de sua operação militar.

A Sputnik Turquia recebeu o comentário exclusivo de Halit Feyad, um dos comandantes do Exército Livre da Síria:

"Estamos em Afrin, onde de manhã realizamos uma operação militar. Como resultado de ferozes confrontações, nós libertamos a cidade das Unidades de Proteção Popular [curdas, YPG]."
De acordo com Feyad, todos os militantes das YPG fugiram da cidade.

"Matamos nos confrontos muitos militantes das YPG. Agora estamos 'limpando' a cidade juntamente com as Forças Armadas da Turquia. Todos os combatentes das YPG fugiram para Kobanie e Qamishli. Nenhum deles ficou na cidade", acrescentou.

Em 20 de janeiro, a Turquia lançou a operação militar Ramo de Oliveira contra as tropas curdas em Afrin. Juntamente com a Turquia, na região estão operando militantes do opositor Exército Livre da Síria. A operação visa "limpar" a cidade síria de Afrin das Unidades de Proteção Popular curdas (YPG), que Ancara considera como grupo terrorista e uma extensão do proibido Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) turco.

Damasco condenou veementemente a operação iniciada pela Turquia em Afrin, sublinhando que este território é parte integrante da Síria. Em resposta, o chanceler turco, Mevlut Cavusoglu, disse que a preservação da integridade territorial da Síria é um objetivo comum de Ancara e Damasco e que as tropas turcas não pretendem atacar as forças governamentais sírias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas