Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Por que militares ucranianos seriam importantes na possível guerra entre Rússia e OTAN?

Em caso de haver uma guerra entre OTAN e Rússia, forças especiais ucranianas podem ser “indispensáveis” para a Aliança, acredita analista militar Konstantin Sivkov.


Sputnik

Se houvesse um conflito, as tropas da Aliança se focariam em conquistar instalações nucleares da Rússia para privá-las de armas estratégicas. Neste caso, a OTAN apostaria em forças especiais.


Militares ucranianos durante treinamento
Militares ucranianos em treinamento © Sputnik/ Stringer

"Forças especiais [ucranianas] podem ser deslocadas à Rússia, tanto sob o disfarce de passageiros civis, como por aviões militares", escreve Konstantin Sivkov em seu artigo publicado pelo jornal Voenno-promyshlenny kurier.

Após neutralizar o potencial nuclear russo, a OTAN com fim de garantir seu sucesso poderá recorrer às forças de reação rápida, "que estabelecerá um alto controle sobre o arsenal estratégico" da Rússia, escreve analista.

Sivkov sublinha o papel especial de militares ucranianos no possível conflito.

"Os soldados das forças especiais ucranianas são essencialmente importantes para a OTAN nestas condições. Tendo uma cultura e etnia semelhantes a da população russa, falam na mesma língua, eles [militantes das forças especiais] serão indispensáveis durante missões especiais", ressaltou o analista.

Anteriormente, o chanceler russo Sergei Lavrov, falando durante seu discurso na Conferência para o Desarmamento em Genebra, afirmou que os Estados Unidos estão treinando a Europa para utilizar armas nucleares contra Moscou, sublinhando que a preservação de armamentos nucleares não estratégicos na Europa, bem como a prática de "missões nucleares conjuntas" dificulta o desarmamento.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas