Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Príncipe herdeiro saudita adverte sobre provável guerra com Irã

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman Al Saud, avisou sobre a probabilidade de um conflito militar com o Irã.


Sputnik

Em entrevista ao jornal Wall Street Journal, o príncipe herdeiro apelou para que a comunidade internacional aplique sanções mais severas contra Teerã a fim de evitar um confronto armado na região.


Vista geral de Riad (foto de arquivo)
Riad, capital da Arábia Saudita © Sputnik/ Aleksandr Yuriev

"Nós devemos consegui-lo para evitar um conflito militar. Caso não possamos fazê-lo, daqui a 10 ou 15 anos talvez se inicie uma guerra com o Irã", afirmou o príncipe à edição.

Riad acusa Teerã de fornecimento ilegal de armas aos rebeldes iemenitas, incluindo mísseis.

Desde 2014, o Iêmen tem sido palco de uma guerra entre rebeldes houthis, por um lado, e o exército governamental e tropas irregulares leais ao presidente do país, Abd Rabbuh Mansur Hadi, por outro.

As forças iemenitas são apoiadas pela coalizão liderada pela Arábia Saudita. Em resposta, os rebeldes houthis lançam regularmente ataques de mísseis contra o território saudita.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas