Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial do Hezbollah: nossos mísseis podem atingir qualquer ponto de Israel

O Hezbollah é capaz de atingir qualquer ponto em Israel com seus mísseis, disse Sheikh Naim Qassem, secretário-geral adjunto do movimento libanês Hezbollah em entrevista ao jornal iraniano al-Vefagh.
Sputnik

"Não há um único ponto nos territórios ocupados fora do alcance dos mísseis do Hezbollah", disse Qassem.


Segundo o alto funcionário, os mísseis servem para impedir Israel de iniciar outra guerra com o Líbano, expondo a "frente israelense".

Qassem comentou também a guerra na Síria, onde o Hezbollah desempenhou um papel ativo na assistência ao governo sírio contra vários agrupamentos terroristas, incluindo o Daesh e Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia). O funcionário elogiou as vitórias alcançadas contra os terroristas, mas criticou os EUA por sua suposta obstrução ao processo de paz.

As tensões entre Tel Aviv e o movimento libanês xiita Hezbollah aumentaram em 4 de dezembro depois que as tropas israelenses lançaram a operação Northern Shield, dest…

Príncipe saudita crê que presença militar dos EUA na Síria é necessária

O príncipe herdeiro e ministro da Defesa da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman, declarou que a presença militar norte-americana na Síria é necessária, informa a revista Time.


Sputnik

"Consideramos que as tropas norte-americanas devem ficar em uma perspectiva de médio prazo no mínimo, ou mesmo de longo prazo", disse Mohammad bin Salman. Segundo ele, a retirada das forças militares dos EUA do país significaria a perda de um ponto de controle muito importante na Síria.


Um combatente norte-americano, que está lutando ao lado das Forças Democráticas da Síria, segura bandeira do seu país
Militar norte-americano junto a terroristas na Síria © REUTERS/ Rodi Said

"Este corredor poderia fazer muito pela região", declarou o príncipe em entrevista.

Conforme nota a edição, atualmente na Síria servem cerca de 2 mil militares norte-americanos.

Antes, o presidente dos EUA, Donald Trump, discursando em Ohio, ressaltou mais uma vez que os EUA vão sair da Síria "muito em breve" e "os outros que cuidem disso" (da Síria). Tais declarações foram feitas ainda no decorrer da campanha eleitoral dele, contudo os militares dos EUA continuam na Síria sem autorização de Damasco oficial.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas