Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Príncipe saudita: Ocidente encorajou Riad a investir no wahhabismo a fim de conter URSS

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman Al Saud, afirmou que os países ocidentais pediram ao seu país para investir na propagação do wahhabismo durante a Guerra Fria a fim de impedir que a União Soviética ganhasse influência no Oriente Médio. Segundo ele, no entanto, o reino acabou perdendo o controle desse movimento.


Sputnik

Corrente fundamentalista do islamismo sunita, o wahhabismo é frequentemente acusado de ser a principal fonte do terrorismo global. Em entrevista ao Washington Post, o príncipe Salman explicou que embora o governo saudita tenha tido o papel mais importante na disseminação dessa doutrina, a pedido dos seus aliados anticomunistas, ela, hoje, é financiada principalmente por "fundações". Ele acredita que o Estado precisa retomar o controle.


Mohammad bin Salman Al Saud, príncipe herdeiro da Arábia Saudita
Mohammad bin Salman Al Saud © Sputnik/ Sergey Guneev

"Temos que recuperar tudo", disse o príncipe, citado pelo jornal.

Sobre as reformas que vem promovendo em seu país, como a redução das restrições impostas às mulheres, Mohammad bin Salman disse ter trabalhado duro para convencer líderes religiosos conservadores de que certas imposições não fazem parte do islamismo.

"Eu acredito que o islã é sensato, o islã é simples, e as pessoas estão tentando sequestrá-lo", declarou, acrescentando que o governo tem mantido conversas positivas com os clérigos, conquistando mais aliados no establishment religioso.

Comentários

Postagens mais visitadas