Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Príncipe saudita: Ocidente encorajou Riad a investir no wahhabismo a fim de conter URSS

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman Al Saud, afirmou que os países ocidentais pediram ao seu país para investir na propagação do wahhabismo durante a Guerra Fria a fim de impedir que a União Soviética ganhasse influência no Oriente Médio. Segundo ele, no entanto, o reino acabou perdendo o controle desse movimento.


Sputnik

Corrente fundamentalista do islamismo sunita, o wahhabismo é frequentemente acusado de ser a principal fonte do terrorismo global. Em entrevista ao Washington Post, o príncipe Salman explicou que embora o governo saudita tenha tido o papel mais importante na disseminação dessa doutrina, a pedido dos seus aliados anticomunistas, ela, hoje, é financiada principalmente por "fundações". Ele acredita que o Estado precisa retomar o controle.


Mohammad bin Salman Al Saud, príncipe herdeiro da Arábia Saudita
Mohammad bin Salman Al Saud © Sputnik/ Sergey Guneev

"Temos que recuperar tudo", disse o príncipe, citado pelo jornal.

Sobre as reformas que vem promovendo em seu país, como a redução das restrições impostas às mulheres, Mohammad bin Salman disse ter trabalhado duro para convencer líderes religiosos conservadores de que certas imposições não fazem parte do islamismo.

"Eu acredito que o islã é sensato, o islã é simples, e as pessoas estão tentando sequestrá-lo", declarou, acrescentando que o governo tem mantido conversas positivas com os clérigos, conquistando mais aliados no establishment religioso.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas