Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Quantos mísseis são precisos para conter ICBM russo Sarmat? Senador aponta

Senador russo, Viktor Bondarev, contou à Sputnik quantos mísseis interceptores estadunidenses são precisos para conter o míssil balístico intercontinental (ICBM) russo Sarmat.


Sputnik

"Para interceptar o ICBM Sarmat serão precisos pelo menos 500 mísseis interceptores norte-americanos, diz a conclusão de especialistas ocidentais", afirmou Viktor Bondarev, presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo).


Resultado de imagem para sarmat
Reprodução

O senador também destacou as capacidades do sistema de mísseis hipersônicos Kinzhal.

"O Kinzhal com seu portador aéreo também é inatingível para os meios de defesa antiaérea adversária, sendo capaz de acertar em quaisquer alvos", comentou.

Anteriormente, o jornal The New York Times informou, citando um alto funcionário, que o presidente dos EUA, Donald Trump, tinha expressado preocupações quanto às mais recentes armas russas, que poderão superar os meios de defesa estadunidense, durante uma conversa telefônica com seu homólogo russo Vladimir Putin.

No âmbito da mensagem anual à Assembleia Federal em 1º de março, Vladimir Putin apresentou as armas estratégicas mais recentes que foram incorporadas nas Forças Armadas do país. Em particular, as forças estratégicas nucleares receberam 80 novos ICBM, 102 mísseis balísticos para submarinos e três submarinos nucleares estratégicos da classe Borei.

Durante o discurso, Putin também demonstrou testes do míssil russo com propulsor nuclear e do sistema de mísseis Sarmat.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas