Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Reino Unido classifica de "lamentável" a resposta da Rússia por caso Skripal

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido qualificou nesta sexta-feira de "lamentável" a decisão da Rússia de solicitar que o governo britânico reduzisse seu pessoal diplomático em território russo, após o caso do envenenamento do ex-espião duplo Sergei Skripal no sul da Inglaterra.


EFE

Londres - O governo britânico expulsou na semana passada 23 diplomatas russos em represália pelo envenenamento de Skripal e de sua filha Yulia com um agente nervoso no último dia 4 em Salisbury, no sul da Inglaterra, uma ação que o Reino Unido considera que, provavelmente, teve o envolvimento do Kremlin.


O chefe da diplomacia britânica, Boris Johnson. EPA/NEIL HALL
O chefe da diplomacia britânica, Boris Johnson. EPA/NEIL HALL

Em resposta a essa medida, a Rússia procedeu com a expulsão do mesmo número de funcionários britânicos e, segundo os veículos de imprensa, pediu hoje ao governo britânico que reduza seu número de funcionários diplomáticos para o mesmo nível que a Rússia tem no Reino Unido, cujo número não foi revelado.

"É lamentável, mas, à luz do comportamento anterior da Rússia, esperávamos uma resposta. Não obstante, isso não muda a questão que foi uma tentativa de assassinato de duas pessoas em solo britânico, pelo qual não há outra conclusão alternativa que o Estado russo foi culpado", afirmou uma porta-voz do ministério britânico.

A porta-voz acrescentou que a Rússia viola o direito internacional e a Convenção sobre Armas Químicas e ressaltou que as medidas de outros países, que também expulsaram diplomatas russos em solidariedade com o Reino Unido, "demonstra a profundidade da preocupação internacional".

O ex-espião russo permanece hospitalizado em estado crítico, mas fontes oficiais indicaram ontem que o estado de Yulia Skripal melhorou e, segundo alguns veículos de imprensa, ela já estaria conseguindo falar.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas