Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Rússia destruiu todas as armas químicas da União Soviética, diz ministro

A Rússia já eliminou toda a reserva de armas químicas acumulada pela União Soviética, disse o ministro russo do Comércio e Indústria, Denis Manturov, nesta quarta-feira (14).


Sputnik

"Todas as armas químicas que foram criadas na União Soviética foram destruídas, sem exceções", disse Manturov.


Bombas de fósforo em unidade de destruição de armas químicas na cidade russa de Shchuchye, na Sibéria
Bombas de fósforo © Sputnik/ Pavel Lisitsyn

O ministro fez a afirmação em reunião partidária após ser perguntado se Moscou havia destruído seu estoque do agente neurotóxico Novichok — que o governo britânico afirma ser a arma utilizada no ataque ao ex-espião russo Sergei Skripal em Salisbury.

A destruição completa das armas químicas da Rússia foi confirmada pelos inspetores da Organização para a Proibição de Armas Químicas que estiveram nas instalações de descarte de 2002 a 2017.

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, acusou a Rússia de ser responsável pelo ataque a Skripal pois a substância utilizada para envenená-lo foi desenvolvida na União Soviética nas décadas de 1970 e 1980.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, ressaltou que nenhum fato que comprove o envolvimento da Rússia no incidente foi fornecidos pelo Reino Unido. Segundo o ministro, a Rússia não recebeu nenhum pedido oficial de Londres sobre a questão do caso Skripal. Ele acrescentou que a Rússia não tinha motivos para envenenar o ex-oficial da inteligência.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas