Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Sputnik 'semeando caos no Afeganistão' ou mão de Washington já atinge Ásia?

Matérias e ponto de vista alternativo da Sputnik há muito tempo preocupam o governo dos EUA. O Ocidente regularmente acusa a agência de divulgar notícias falsas e informações a favor do Kremlin. No entanto, desta vez, uma onda de acusações veio da Ásia.


Sputnik


Recentemente, os portais afegãos, Caravanserai e Salaam Times, financiados diretamente pelo Comando Central dos Estados Unidos (USCENTCOM), publicaram um artigo acusando a Sputnik de espalhar notícias falsas e de semear caos no Afeganistão.


Militares norte-americanos no Afeganistão
Militares norte-americanos no Afeganistão | CC BY 2.0 / The U.S. Army / flickr_cover_photo

Os portais citaram como argumento um print de um artigo da Sputnik Dari (Afeganistão) — o vídeo chamado "Alma saindo de paciente em hospital chinês". Os autores sublinham que com tais "materiais falsos" a Sputnik "atrai atenção de leitores crédulos".

Vale destacar que a publicação, citada pelos portais afegãos, trata-se de um vídeo viral que foi divulgado nas redes, sendo ele de domínio público e não um material exclusivo da Sputnik, onde "são deturpados" alguns fatos e "representados interesses do Kremlin".

Além disso, Caravanserai e Salaam Times argumentaram suas acusações contra a Sputnik com palavras de altos funcionários, em particular do representante oficial do Ministério da Cultura afegão, Mohamad Sabir Momand.

Segundo a matéria, Momand supostamente disse em entrevista ao Salaam Times o seguinte: "Muitas matérias, publicadas pela agência Sputnik, não correspondem à realidade e estão cheias de exageros. Tais mídias visam apenas semear caos na sociedade. O Ministério de Informação e Cultura [afegão] planeja publicar informações sobre ameaça potencial de tais agências."

No entanto, os autores do artigo simplesmente tiraram as palavras de Momand do contexto, atribuindo ao representante o que ele não havia dito. Desta maneira, os próprios Caravanserai e Salaam Times acabaram divulgando informações falsas e infundadas, denegrindo o nome de altos funcionários afegãos.

Em entrevista à Sputnik Dari, o representante do Ministério da Cultura afegão Momand descartou a declaração, publicada pelos portais.

"Nunca e a ninguém fiz tais declarações [quanto à Sputnik] […] Vamos impedir atividades de agências deste tipo tanto no interior como fora do país, cujas publicações violam normas e legislação, bem como a Constituição do Afeganistão", disse Momand, expressando prontidão de prestar informação fidedigna a colegas.

A agência Sputnik, assim como o canal RT, tem sido alvo de forte pressão na Europa e nos Estados Unidos. Em novembro de 2017, o Departamento de Justiça norte-americano incluiu o canal de televisão RT America e a empresa parceira da Sputnik — Reston Translator, que transmitia programas da Sputnik nos EUA, na lista de agentes estrangeiros. Em fevereiro passado, o mesmo aconteceu com outra empresa norte-americana, RIA Global LLC, que se dedica à produção de conteúdos para a agência internacional de notícias e rádio Sputnik.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas