Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Poloneses pedem a Trump ajuda para conseguir indenização da Rússia e Alemanha pela 2ª Guerra

Um auto-proclamado "partido bíblico antiglobalista" pró-EUA e pró-Israel da Polônia, que se autodenomina "Movimento 11 de novembro", criou uma petição no site We the People da Casa Branca pedindo ao presidente Donald Trump ajude a obter "compensação adequada" da Rússia e da Alemanha por danos causados ​​na Segunda Guerra Mundial.
Sputnik

"Os poloneses livres estão apelando para os EUA, o vencedor na Segunda Guerra Mundial e o fiador dos acordos do pós-guerra, para obter ajuda na recuperação das reparações de guerra da Alemanha e da Rússia", diz a petição.


Além de alcançar a "justiça histórica", uma campanha de reparações bem-sucedida desempenharia "um papel fundamental na Polônia, tornando-se um forte aliado dos Estados Unidos diante da ameaça que surge na Europa e na Ásia — um novo Império do Mal".

Falando ao The New American, uma pequena revista de propriedade da John Birch Society, o co-autor e vice-presidente do Movimento 11…

Ucrânia dá mais um passo para aderir à OTAN

A OTAN reconheceu a Ucrânia como país candidato a integrar a Aliança, comunicou neste sábado (10) Irina Gerashchenko, primeira vice-presidente da Suprema Rada, parlamento ucraniano.


Sputnik

"Isto é muito importante. A OTAN reconheceu o estatuto da Ucrânia como país candidato! Passo a passo, estamos nos aproximando da adesão plena à Aliança", escreveu Geraschenko na sua página do Facebook. De acordo com ela, esse reconhecimento foi há pouco tornado público no site do bloco militar. 


Militares ucranianos durante manobras internacionais Rapid Trident-2016 (foto de arquivo)
Militares ucranianos © Sputnik/ Stringer

Em dezembro de 2014, os deputados da Suprema Rada adotaram emendas às leis que anteriormente estabeleciam o status da Ucrânia como país não-alinhado. Em junho de 2016, a entrada do país na OTAN foi oficialmente reconhecida como meta da política externa do país.

Em conformidade com os acordos entre Kiev e Bruxelas, a Ucrânia deve assegurar, até 2020, a plena compatibilidade de suas Forças Armadas com as da Aliança Atlântica.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas