Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Ucrânia expulsa 13 diplomatas russos em solidariedade com Reino Unido

A Ucrânia expulsará 13 diplomatas russos em solidariedade com o Reino Unido pelo caso do envenenamento em solo britânico do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, anunciou nesta segunda-feira o presidente ucraniano, Petro Poroshenko.


EFE

"A Ucrânia, em solidariedade com seus parceiros britânicos e aliados ocidentais, decidiu expulsar 13 diplomatas russos", escreveu Poroshenko em seu perfil do Facebook, no mesmo dia em que Estados Unidos, Canadá e vários países da União Europeia (UE) também anunciaram expulsões.


Petro Poroshenko em foto de 12 de março. EPA/SERGEY DOLZHENKO
Petro Poroshenko em foto de 12 de março. EPA/SERGEY DOLZHENKO

O governo ucraniano expressou dessa forma o seu apoio à versão britânica de que o Kremlin é responsável pela tentativa de assassinato, que aconteceu com um agente nervoso que a Rússia fabricou no passado e que acredita-se que continua produzindo.

"A Rússia, mais uma vez, confirmou seu desprezo, não só pela soberania de Estados independentes, mas também para o valor da vida humana", acrescentou Poroshenko.

Além disso, o presidente ucraniano lembrou que as relações diplomáticas entre Ucrânia e Rússia já estavam "congeladas" devido à ocupação de territórios ucranianos e ao conflito no leste do país com separatistas pró-Rússia.

Kiev considera que a resposta comum às ações do Kremlin deve continuar sendo firme para prevenir "novas tragédias humanas e garantir o respeito ao direito internacional".

Concretamente, Poroshenko pediu o endurecimento das sanções econômicas e financeiras contra a Rússia pelos "crimes internacionais cometidos".

No dia 4 de março, o ex-espião russo e sua filha Yulia foram encontrados inconscientes perto de um shopping da cidade britânica de Salisbury e as autoridades de Londres comunicaram posteriormente que os dois tinham sido envenenados com um agente nervoso de tipo "Novichok", fabricado na Rússia, que nega seu envolvimento no crime.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas