Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Zarif: o Irã apoiará a Arábia Saudita diante da possível agressão estrangeira

"O Irã será o primeiro a defender a Arábia Saudita se for atacado por um país terceiro", disse o ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohamad Javad Zarif, reafirmando o compromisso de Teerã de contribuir para a segurança de todos os países da região, incluindo a monarquia saudita.


Pars Today

O chefe da diplomacia persa, em suas observações na segunda-feira numa conversa com a mídia paquistanesa em Islamabad, enfatizou que "a segurança e a estabilidade dos países da região, incluindo o Irã, estão entrelaçadas".


Zarif: o Irã apoiará a Arábia Saudita diante da possível agressão estrangeira
Ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohamad Javad Zarif | Reprodução

Ele disse que a República Islâmica do Irã já havia manifestado a sua vontade de dialogar com a Arábia Saudita, a fim de atenuar a tensão e normalizar as relações bilaterais. "O problema é que os sauditas acreditam que o fato de o mundo pensar que são ameaçados pelo Irã pode beneficiá-los", disse o diplomata do Irã.

Zarif enfatiza que Teerã e Riad, podem cooperar na reconstrução do Iraque e da Síria, dois países atingidos por conflitos e ofensas terroristas, mas primeiro devem resolver seus próprios problemas na mesa de negociações.

"Não temos motivos para nos antagonizar, mas avisamos (Arábia Saudita) que não pode proporcionar a sua segurança agindo além das suas fronteiras", afirmou o ministro iraniano.

As tensões entre Riad e Teerã intensificaram em janeiro de 2016, quando o país árabe quebrou relações diplomáticas e comerciais com o Irã devido a protestos no país persa durante a execução da figura proeminente da oposição saudita, Xeque Nimr Baqer-Nimr.

Desde então, a monarquia saudita recorreu a todas as medidas de possível pressão contra o Irã, incluindo acusações sem fundamento de que Teerã interfere nos assuntos internos de outros países da região e prejudica a estabilidade do Oriente Médio. O Irã rejeitou todas as acusações e exorta os países vizinhos a dialogarem para resolver os desentendimentos e promover a segurança na região.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas