Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Acham em Síria substâncias químicas de Alemanha e Reino Unido

Um servidor público sírio ante a OPAQ denunciou que tropas deste país acharam na cidade de Duma armazéns de produtos químicos fabricados em Alemanha e Reino Unido que pertenciam a grupos terroristas, difundiram hoje médios de imprensa.



PRENSA LATINA

O representante permanente de Síria ante a Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ), Hasan Obeid, assegurou que as substâncias químicas descobertas pelo Exército provêm de Berlim e Londres, em particular do laboratório Porton Down, de Salisbury.


Laboratório químico terrorista encontrado em Ghouta | Reprodução

Meios de imprensa difundiram aqui que o representante diplomático desta nação árabe expressou que a missão de indagação da OPAQ poderia visitar os mencionados depósitos químicos em Duma, região de Ghouta Oriental, ao este de Damasco.

Em reiteradas ocasiões, o governo sírio mostrou evidências ante instâncias internacionais que demonstraram que os grupos terroristas arraigados anteriormente em Duma e outras zonas de Ghouta Oriental possuíam nesses lugares laboratórios com substâncias tóxicas.

Também denunciou que o agrupamento Jeish a o-Islã junto aos chamados Capacetes Brancos, suposta organização humanitária patrocinada por Reino Unido, realizaram uma montagem de um suposto ataque químico em Duma, que supostamente ocorreu o passado 7 deste mês.

Sem esperar os resultados de uma investigação em Duma de uma equipe da OPAQ, no passado dia 14 Estados Unidos, Reino Unido e França realizaram um ataque militar contra objetivos sírios nas afueras de Damasco e a central província de Homs.

Tal ação militar tripartite desses países ocidentais, catalogada como agressão pelo governo russo, foi condenada por diversos países, entre eles a própria Rússia, Irão, Iraq e Cuba.

Em 2014 as autoridades de Damasco entregaram seu arsenal químico completo à Organização para a Proibição das Armas Químicas, o qual foi destruído por esse organismo internacional em presença de representantes de Estados Unidos e Rússia.

Postar um comentário