Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Governo saudita diz que rei e príncipe herdeiro são 'linha vermelha'

O ministro de Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir, afirmou que o rei Salman bin Abdulaziz e o príncipe Mohammed Bin Salman são uma "linha vermelha" para a Arábia Saudita e rejeitou o suposto envolvimento do herdeiro da coroa saudita no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.
EFE

Riad - "A liderança do reino da Arábia Saudita representada nas guardas das duas mesquitas sagradas (o rei) e o príncipe herdeiro são uma linha vermelha e não permitiremos tentativa algum de atacar nossos líderes", afirmou Al-Jubeir em entrevista publicada nesta terça-feira o jornal árabe internacional "Asharq Al-Awsat".


"Atacar os líderes do reino é tocar em todos os cidadãos", acrescentou.

O ministro fazia alusão às versões que vinculam o príncipe Mohammed com a morte do jornalista no consulado saudita em Istambul em 2 de outubro.

Veículos de imprensa americanos informaram na sexta-feira que a CIA tinha concluído que o herdeiro saudita ordenou o assassinato de Kh…

Ataque de Israel foi reação ao sucesso da Síria no combate ao terrorismo, diz Damasco

O Ministério da Defesa da Rússia informou na segunda-feira (7) que dois jatos israelenses F-15 realizaram um ataque contra a base T-4 da Síria, confirmando os relatos da mídia síria de que a instalação havia sofrido um ataque com mísseis.


Sputnik

O Ministério das Relações Exteriores da Síria chamou o ataque das forças israelenses contra a base síria na província de Homs de uma reação indireta aos êxitos das forças de Damasco na luta contra o terrorismo. O ministério ainda fez uma observação de que Damasco se reserva o direito de defender seu território.


Soldados do exército sírio na entrada para Harasta, Síria
Militares sírios © REUTERS/ Omar Sanadiki

"O ataque israelense constitui uma resposta indireta ao sucesso do Exército Árabe Sírio na eliminação de grupos terroristas armados dos subúrbios de Damasco Damasco e outras áreas sírias. Esses grupos ajudaram a matar o povo sírio, seqüestrar civis e usá-los como escudos humanos. Mil conchas em apenas três meses levaram à morte de 155 cidadãos e feriram 865 civis, a maioria mulheres e crianças ".

O ministério ainda fez uma observação de que Damasco se reserva o direito de defender seu território.

"A Síria tem o direito defender sua população, território e soberania por todos os meios disponíveis, em conformidade com a Carta da ONU e o direito internacional".

O ministério também advertiu Israel sobre as graves consequências do contínuo apoio a organizações terroristas armadas e à ocupação de territórios árabes, incluindo as colinas de Golã.

O comunicado também critica os EUA por seu apoio à "abordagem agressiva e perigosa" de Israel.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas