Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin passa para Trump a responsabilidade de resolver conflito na Síria

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, passou a bola para que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seja o responsável por resolver o conflito na Síria.
EFE

Helsinque - Em entrevista coletiva conjunta realizada nesta segunda-feira, em Helsinque, após a primeira cúpula entre os dois líderes, Putin também deu para Trump uma bola oficial da Copa do Mundo.

"No que se refere ao fato de a bola da Síria estar no nosso telhado, senhor presidente, o senhor acaba de dizer que organizamos com sucesso o Mundial de Futebol. Portanto, quero agora entregar esta bola. Agora, a bola está do seu lado", disse Putin.

O presidente russo fazia uma referência a uma frase do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que havia afirmado que a bola para resolver o conflito na Síria estava no telhado do Kremlin.

Trump agradeceu pelo presente e disse estar confiante de que EUA, México e Canadá organizarão em 2026 uma Copa do Mundo tão bem-sucedida como a da Rússia.

Na sequência, o presidente americ…

Ataque de Israel foi reação ao sucesso da Síria no combate ao terrorismo, diz Damasco

O Ministério da Defesa da Rússia informou na segunda-feira (7) que dois jatos israelenses F-15 realizaram um ataque contra a base T-4 da Síria, confirmando os relatos da mídia síria de que a instalação havia sofrido um ataque com mísseis.


Sputnik

O Ministério das Relações Exteriores da Síria chamou o ataque das forças israelenses contra a base síria na província de Homs de uma reação indireta aos êxitos das forças de Damasco na luta contra o terrorismo. O ministério ainda fez uma observação de que Damasco se reserva o direito de defender seu território.


Soldados do exército sírio na entrada para Harasta, Síria
Militares sírios © REUTERS/ Omar Sanadiki

"O ataque israelense constitui uma resposta indireta ao sucesso do Exército Árabe Sírio na eliminação de grupos terroristas armados dos subúrbios de Damasco Damasco e outras áreas sírias. Esses grupos ajudaram a matar o povo sírio, seqüestrar civis e usá-los como escudos humanos. Mil conchas em apenas três meses levaram à morte de 155 cidadãos e feriram 865 civis, a maioria mulheres e crianças ".

O ministério ainda fez uma observação de que Damasco se reserva o direito de defender seu território.

"A Síria tem o direito defender sua população, território e soberania por todos os meios disponíveis, em conformidade com a Carta da ONU e o direito internacional".

O ministério também advertiu Israel sobre as graves consequências do contínuo apoio a organizações terroristas armadas e à ocupação de territórios árabes, incluindo as colinas de Golã.

O comunicado também critica os EUA por seu apoio à "abordagem agressiva e perigosa" de Israel.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas