Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Ataque de milícias mata soldado de paz e faz 11 feridos na República Centro-Africana

Um soldado de paz morreu e outros 11 ficaram feridos nesta terça-feira durante uma troca de tiros com milícias Anti-balaka, de maioria cristã, na República Centro-Africana.


Eleutério Guevane | ONU

Em nota, as Nações Unidas anunciaram que a confrontação decorreu em Tagbara numa base temporária da Missão da ONU no país, Minusca. O local fica 60 km a nordeste de Bambari, a segunda maior cidade centro-africana.


Integrante da Minusca na República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina
Integrante da Minusca na República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina

Recuperação

As Nações Unidas informaram que a ação das tropas de paz seguiu-se a várias horas de tiros das milícias. O secretário-geral, António Guterres, enviou uma nota de condolências à família do militar falecido e desejou pronta recuperação aos feridos.

Em nota separada, a Minusca anuncia a descoberta de corpos de 21 civis, que incluem quatro mulheres e o mesmo número de crianças em Tagbara.

Base

Antes, a operação de paz recebeu informações de que o grupo Unidade pela Republica Centro-Africana teria raptado 23 pessoas.

Todo o grupo foi libertado pacificamente pela Minusca e segundo as Nações Unidas, passou a noite na base temporária por razões de segurança. A operação de paz condenou os atos com veemência.

No sábado, uma operação conjunta das forças de paz da ONU e as Forças Armadas centro-africanas libertou 15 pessoas que foram feitas reféns pelo Exército de Resistência do Senhor. O grupo de civis foi raptado próximo da cidade de Obo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas