Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Ataque de milícias mata soldado de paz e faz 11 feridos na República Centro-Africana

Um soldado de paz morreu e outros 11 ficaram feridos nesta terça-feira durante uma troca de tiros com milícias Anti-balaka, de maioria cristã, na República Centro-Africana.


Eleutério Guevane | ONU

Em nota, as Nações Unidas anunciaram que a confrontação decorreu em Tagbara numa base temporária da Missão da ONU no país, Minusca. O local fica 60 km a nordeste de Bambari, a segunda maior cidade centro-africana.


Integrante da Minusca na República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina
Integrante da Minusca na República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina

Recuperação

As Nações Unidas informaram que a ação das tropas de paz seguiu-se a várias horas de tiros das milícias. O secretário-geral, António Guterres, enviou uma nota de condolências à família do militar falecido e desejou pronta recuperação aos feridos.

Em nota separada, a Minusca anuncia a descoberta de corpos de 21 civis, que incluem quatro mulheres e o mesmo número de crianças em Tagbara.

Base

Antes, a operação de paz recebeu informações de que o grupo Unidade pela Republica Centro-Africana teria raptado 23 pessoas.

Todo o grupo foi libertado pacificamente pela Minusca e segundo as Nações Unidas, passou a noite na base temporária por razões de segurança. A operação de paz condenou os atos com veemência.

No sábado, uma operação conjunta das forças de paz da ONU e as Forças Armadas centro-africanas libertou 15 pessoas que foram feitas reféns pelo Exército de Resistência do Senhor. O grupo de civis foi raptado próximo da cidade de Obo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas