Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Ataque mata 26 combatentes pró-governo na Síria

Bombardeios 'provavelmente israelenses' foram disparados contra uma base militar na província de Hama.


France Presse

Ao menos 26 combatentes leais ao governo sírio, em sua maioria iranianos, morreram no domingo em um ataque com mísseis contra uma base militar na Síria, anunciou nesta segunda-feira (30) a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Resultado de imagem para Ataque mata 26 combatentes pró-governo na Síria
Bombardeios mataram 26 combatentes pró-governo / STRINGER / AFP

Os bombardeios, "provavelmente israelenses", contra a Brigada 47, uma base militar na província central de Hama, mataram 26 combatentes pró-governo, afirmou o OSDH.

No domingo à noite, a imprensa estatal citou uma "nova agressão com mísseis inimigos contra posições militares nas províncias de Hama e Alepoo".

"Ao menos 26 combatentes morreram, entre eles quatro sírios. Os outros são combatentes estrangeiros, em sua maioria iranianos", disse à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

"Pelo tipo do alvo, provavelmente foram bombardeios israelenses", completou Rahman.

Tanto no aeroporto militar da província de Aleppo (norte) como na Brigada 47, os bombardeios apontaram contra "depósitos de mísseis terra-terra", disse.

Em Israel, o ministro dos Transportes, Yisrael Katz, diretor do serviço de inteligência, afirmou que não estava a par do assunto.

Katz acrescentou, no entanto, a que "a violência e a instabilidade na Síria são o resultado das tentativas do Irã de implantar-se militarmente neste país".

"Israel não permitirá a abertura de uma frente norte na Síria", advertiu Katz, que integra o gabinete de segurança israelense.

Israel não confirma, com algumas exceções, suas operações militares na Síria.

Desde o início da guerra na Síria em 2011, Israel realizou vários ataques aéreos contra alvos no país, especialmente contra o Hezbollah.

Israel e Síria estão oficialmente em estado de guerra e suas relações ficaram ainda mais tensas nos últimos anos, já que três inimigos de Israel atuam no conflito sírio: o próprio regime de Damasco, o Irã e o grupo libanês Hezbollah.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas