Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Autoridades sírias anunciam acordo para pacificar Duma

As autoridades sírias anunciaram neste domingo que chegaram a um acordo com o grupo Exército do Islã para pacificar Duma, o último reduto rebelde em Ghouta Oriental, região vizinha a Damasco.


EFE

Cairo - A agência oficial "Sana" afirmou que o acordo implica a evacuação completa dos "sequestrados" de Duma, em alusão aos civis, em troca da saída dos "terroristas" do Exército do Islã para Jarablus, no norte da província de Aleppo, na fronteira com a Turquia.


Rua de Duma em foto de 19 de março. EFE/ Mohammed Badra
Rua de Duma em foto de 19 de março. EFE/ Mohammed Badra

O acordo foi firmado após dois dias de uma intensa ofensiva em Duma por parte das forças leais ao presidente sírio, Bashar al Assad.

A nova escalada de violência causou a morte de 96 civis, entre eles 27 crianças e 16 mulheres em Duma, segundo a última apuração do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A Defesa Civil síria e ONGs denunciaram que as forças leais ao presidente realizaram no sábado um ataque químico em Duma que causou a morte de pelo menos 42 civis e afetou outros 500.

Tanto as autoridades sírias como a Rússia negaram de maneira contundente o uso de armas químicas nos bombardeios de Duma e nenhuma outra fonte independente a confirmou.

Duma é a última cidade de Ghouta Oriental que continua em poder dos rebeldes, após as autoridades terem retomado o restante da região, em alguns casos por meio das armas e em outros em virtude de acordos assinados com os grupos rebeldes, que na prática equivalem a uma rendição.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas