Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

OTAN se prepara para maiores exercícios militares desde 2002

A OTAN está se preparando para realizar seus maiores exercícios militares desde 2002. Trata-se dos Trident Juncture 2018, dos quais participarão mais de 40.000 militares de 30 países membros e parceiros da OTAN.
Sputnik

A fase principal das manobras irá ser realizada entre os dias 25 de outubro e 7 de novembro, na Noruega e áreas vizinhas, com exercícios preliminares nas águas ao largo da costa da Islândia de 15 a 17 de outubro.

Defender-se contra 'qualquer ameaça em qualquer momento'

O objetivo dos exercícios é a dissuasão e defesa contra "qualquer ameaça, de qualquer lugar e em qualquer momento", explicou nesta semana o almirante da Marinha dos EUA a jornalistas em Bruxelas, James G. Foggo III, comandante dos exercícios.

O militar revelou que os Trident Juncture mostram que a OTAN está unida e pronta para se defender valendo-se da defesa coletiva. Neste sentido, o cenário dos exercícios inclui uma violação da soberania de um aliado da OTAN, neste caso da Noruega.

Ao mesm…

Aviso aos EUA: cooperação militar entre China e Rússia atinge 'fase sem precedentes'

Uma delegação chinesa chegou à capital russa para participar da VII Conferência de Segurança Internacional de Moscou e mostrar aos EUA que as relações entre Pequim e Moscou são estreitas, declarou o ministro da Defesa chinês, Wei Fenghe, que se reuniu com seu homólogo russo, Sergei Shoigu.


Sputnik

"Na qualidade de novo ministro da Defesa da China estou visitando precisamente a Rússia, para mostrar ao mundo o alto nível de desenvolvimento de nossas relações bilaterais e a resolução firme de nossas forças armadas de reforçar a cooperação estratégica", sublinhou Wei.


Exercícios navais sino-chineses Cooperação Marítima-2015
Tripulação de navio chinês recepcionada por militares russos © Sputnik/ Yulia Kaminskaya

A delegação chinesa "chegou para mostrar aos EUA as relações estreitas entre as forças armadas da Rússia e China", adicionou.

"Nas plataformas internacionais, a parte chinesa está disposta a expressar, junto com a russa, nossa preocupação e postura comum quanto aos importantes problemas internacionais", concluiu Wei.

'Fase sem precedentes'

O ministro russo da Defesa, Sergei Shoigu, destacou que as relações bilaterais entre Rússia e China estão "entrando em uma nova fase sem precedentes e se convertendo em um fator importante para garantir a paz e a segurança internacional".

Além disso, Shoigu felicitou Wei pelo seu novo cargo e lhe agradeceu pela participação da delegação chinesa na conferência, avaliando que "é gratificante que em sua primeira visita ao exterior ele tenha vindo para a Rússia". "Isto mais uma vez salienta o caráter especial das relações sino-russas, com sua integral associação e cooperação estratégica", declarou.

"Estou seguro de que a reunião de hoje contribuirá para aprofundar as relações tradicionalmente amistosas e de confiança entre os ministérios da Defesa de ambos os países", finalizou.

A VII Conferência de Segurança Internacional de Moscou é celebrada entre 4 e 5 de abril.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas