Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Casa Branca: Trump cancela visita à América Latina por causa da situação na Síria

O presidente norte-americano, Donald Trump, cancelou visita à América Latina para se focar na resposta à Síria em relação ao recente ataque químico, comunicou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.


Sputnik

Segundo a Casa Branca, o líder estadunidense não estará presente na 8ª edição da Cúpula das Américas que decorrerá na capital do Peru, Lima, nem visitará a capital colombiana de Bogotá. O presidente será representado na cúpula pelo seu vice Mike Pence.


Donald Trump discursando sobre a Estratégia da Segurança Nacional na segunda-feira, 18 de dezembro
Donald Trump © AP Photo/ Evan Vucc

"O presidente ficará nos Estados Unidos para controlar a resposta dos EUA à Síria e monitorar os acontecimentos no mundo", de acordo com o comunicado de Sanders.

A 8ª Cúpula das Américas ocorrerá nos dias 13 e 14 de abril, em Lima, e deveria ser a primeira viagem de Trump à América Latina desde que tomou posse em janeiro de 2017.

Anteriormente, os Estados Unidos e outros países ocidentais acusaram as autoridades sírias de supostamente ter realizado na noite de 7 para 8 de abril um ataque químico na cidade síria de Douma, matando aproximadamente 70 pessoas.

Donald Trump, por sua parte, afirmou na segunda-feira (9), que dará uma resposta possível até este fim de semana. Em um comunicado de hoje, a Casa Branca declarou que Washington está considerando todas as opções de resposta.

Por sua vez, as autoridades sírias vêm negando todas as acusações, afirmando ter avisado que os radicais na área estavam planejando provocações com o uso de armas químicas.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas