Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Centenas de soldados ucranianos cometeram suicídio em Donbass desde o início da guerra

Cerca de 3.800 soldados ucranianos morreram no leste do país, incluindo 554 que se suicidaram, desde que uma operação militar contra separatistas começou em 2014, informou o principal promotor militar.


Sputnik

"Desde o início da Operação Anti-Terrorista, quase 326.000 pessoas receberam o status de combatente, 8.489 foram feridas ou mutiladas, 3.784 membros do serviço morreram e menos 554 cometeram suicídio", escreveu Anatolii Matios no Facebook na quarta-feira.


Foto de arquivo de tropas ucranianas andar em tanques perto de Artemivsk, leste da Ucrânia.
Tropas ucranianas © AP Photo / Evgeniy Maloletk

Matios disse que a falta de psicólogos levou a uma assistência muito limitada ao pessoal militar. Ele reclamou de uma abordagem "formal" para a reabilitação psicológica no exército.

Um equivalente de US$ 4 milhões foi desembolsado pelo governo este ano para reabilitar e reintegrar o pessoal militar, disse o promotor, mas o dinheiro ficou intocado porque nenhum contrato foi assinado com prestadores de serviços psicológicos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas