Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Centenas de soldados ucranianos cometeram suicídio em Donbass desde o início da guerra

Cerca de 3.800 soldados ucranianos morreram no leste do país, incluindo 554 que se suicidaram, desde que uma operação militar contra separatistas começou em 2014, informou o principal promotor militar.


Sputnik

"Desde o início da Operação Anti-Terrorista, quase 326.000 pessoas receberam o status de combatente, 8.489 foram feridas ou mutiladas, 3.784 membros do serviço morreram e menos 554 cometeram suicídio", escreveu Anatolii Matios no Facebook na quarta-feira.


Foto de arquivo de tropas ucranianas andar em tanques perto de Artemivsk, leste da Ucrânia.
Tropas ucranianas © AP Photo / Evgeniy Maloletk

Matios disse que a falta de psicólogos levou a uma assistência muito limitada ao pessoal militar. Ele reclamou de uma abordagem "formal" para a reabilitação psicológica no exército.

Um equivalente de US$ 4 milhões foi desembolsado pelo governo este ano para reabilitar e reintegrar o pessoal militar, disse o promotor, mas o dinheiro ficou intocado porque nenhum contrato foi assinado com prestadores de serviços psicológicos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas